Saiba mais sobre a Geologia Marinha brasileira e como ela pode fomentar o setor mineral




Geologia marinha ou oceanografia geológica, também conhecida como oceanografia abiótica, é um estudo de regiões marinhas abrangendo a geologia, a morfologia de fundo, a evolução morfoestrutural das margens continentais, a distribuição sedimentar, os recursos minerais, a evolução paleogeográfica e a dinâmica costeira. O fundo do mar possui ilhas, vulcões extintos e ativos, cadeias de montanhas, fossas oceânicas, planícies abissais, inúmeros minerais e imenso potencial mineral a ser descoberto.


Poucas empresas e instituições de pesquisa ao redor do mundo têm as estruturas necessárias para investir em pesquisas. Os altos custos e as dificuldades de investigação geradas pela própria natureza dos oceanos são fatores que interferem diretamente nos projetos de pesquisas, que são importantes para entender o potencial mineral das áreas estudadas pela Geologia Marinha e produzir conhecimento acerca da formação, composição e história do fundo do mar.


No Brasil, existe a Divisão de Geologia Marinha (DIGEOM), do Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM), que desenvolve atividades de pesquisa relacionadas aos oceanos, na Zona Costeira, na Plataforma Continental Jurídica Brasileira e em regiões oceânicas internacionais. Ela estuda as características químicas e físicas de rochas e sedimentos coletados em área oceânica; as especificidades como idade de origem; batimetria dos oceanos; recursos minerais e ambientais marinhos; e, também, os processos de erosão costeira.


Em abril deste ano, foi inaugurado o primeiro Laboratório de Geologia Marinha (GeMar) do SGB-CPRM, em Recife/PE, com 5 mil amostras coletadas no leito marinho e na zona costeira. O DIGEOM desenvolve diversos projetos que podem contribuir para a mineração brasileira como: o projeto de Prospecção e Exploração de Depósitos de Fosforitas Marinhas na Plataforma Continental Jurídica Brasileira (PCJB); o Projeto de Prospecção e Exploração de Recursos Minerais na Elevação do Rio Grande (PROERG); e o projeto de Prospecção e Exploração de Sulfetos Polimetálicos da Cordilheira Meso-Atlântica (PROCORDILHEIRA). Clique aqui e saiba mais sobre alguns dos principais projetos desenvolvidos pela DIGEOM.


O SGB-CPRM é parceiro da Marinha do Brasil no uso de uma embarcação especialmente equipada para investigar as áreas de interesse que podem contribuir com o desenvolvimento do setor mineral brasileiro, fomentando ainda mais o desenvolvimento socioeconômico regional. Alguns estudos importantes já estão em curso, como é o caso do Projeto Plataforma Rasa do Brasil, que avalia o potencial mineral de áreas rasas da plataforma do continente – faixa submersa no litoral do continente – e zona costeira adjacente. Este projeto se desenvolve nos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte.


Com Informações do Serviço Geológico do Brasil

0 comentário