top of page

Receita de operações da Kinross cresce 23% em 2023

A operação de Paracatu, em Minas Gerais, também teve maior produção, devido a um aumento na produtividade da usina.



A Kinross registrou aumento da ordem de 10% no volume de produção de ouro em 2023, que passou de 1,957 milhão de onças para 2,153 milhões de onças. O aumento é decorrente, principalmente, da maior produção em La Coipa e maiores teores de moagem, recuperações e rendimento em Tasiast. A operação de Paracatu, em Minas Gerais, também teve maior produção, devido a um aumento na produtividade da usina, bem como a recuperações recordes, parcialmente compensadas por teores mais baixos. A produção diminuiu no último trimestre de 2023, em relação ao trimestre anterior, principalmente devido aos teores mais baixos, como esperado, parcialmente compensados pelo maior rendimento da usina.


O preço médio do ouro obtido pela empresa no ano foi US$ 1.945/onça, bem acima dos US$ 1.793/onça de 2022. Com isso, a receita de operações contínuas cresceu 23%, para US$ 4.239,7 milhões para o ano inteiro de 2023, em comparação com US$ 3.455,1 milhões do ano anterior.


A margem de operações contínuas da Kinross para o ano inteiro de 2023 foi de US$ 1.003, em comparação com US$ 856 para o ano inteiro de 2022. O lucro líquido reportado para o ano inteiro em 2023 foi de US$ 416,3 milhões ou US$ 0,34 por ação, em comparação com lucro líquido reportado de US$ 31,9 milhões, ou US$ 0,02 por ação, em 2022.


As despesas de capital atribuíveis para o ano inteiro de operações contínuas foram de US$ 1.055,0 milhões, em comparação com US$ 755,0 milhões para 2022. O aumento para o ano inteiro deveu-se principalmente a um aumento na remoção de capital em Tasiast e Fort Knox, e ao aumento das atividades de desenvolvimento em o projeto Manh Choh.



Fonte: Brasil Mineral

0 comentário

コメント


bottom of page