Largo planeja expansão e novos produtos

A Largo Resources planeja aumentar sua capacidade de produção de pentóxido de vanádio (V2O5) da mina Maracás Menchen, na Bahia, em 10% este ano. Foi o que afirmou o presidente e diretor-executivo da empresa, Paulo Misk, durante um webinar.


A companhia terminou 2019 operando a uma taxa de produção de 1.000 toneladas por mês e sua faixa de meta é produzir 12.000 toneladas este ano. No entanto, planeja aumentar para 1.100 tpm com um modesto gasto de capital de US$ 1,3 milhão. A empresa produziu 10.577 toneladas em 2019.

Tendo se libertado de um contrato de compra da Glencore no início deste ano, a empresa se concentrará na produção de produtos de maior pureza e alto valor agregado, em vez de confiar na produção de tipos de commodities para reforço de aço.

A maioria do vanádio é um produto 98% puro produzido como subproduto da fabricação de aço. A Largo é um produtor primário e produz um produto com 99% de conteúdo.

"Agora que somos comercialmente independentes, colocaremos nosso foco nas vendas de vanádio de alta pureza, que não eram a prioridade do compromisso com a Glencore. Vamos implementar um produto de trióxido de vanádio V2O3 no terceiro trimestre de 2021 que aumentará as vendas para indústria aeroespacial em 50% ", afirmou Misk.

No mês passado, a Pöyry anunciou o contrato com a Largo para a construção da nova planta de processamento na operação. A planta de V2O3 deverá ter um custo de desenvolvimento de US$ 10 milhões a US$ 11 milhões.


A companhia também está planejando construir uma planta de conversão de ferrovanádio até o final de 2021 para converter material internamente, em vez de usar plantas de conversão em outros lugares. "Ter nossa própria fábrica nos oferece maior flexibilidade e significa que estamos mais aptos a fornecer aos clientes", disse Misk.

A Largo também planeja explorar outros minerais em seu depósito, como a ilmenita, que acredita poder ser transformada em pigmento de dióxido de titânio. "Cerca de 13% dos rejeitos são de ilmenita. Desenvolvemos um processo para recuperá-lo e outro para produzir pigmento de titânio. Em breve faremos uma avaliação comercial do mercado e elaboraremos um plano de negócios de titânio, com os estudos prontos para o processo no primeiro trimestre de 2021 ", disse Misk.

Ele disse que o aumento da produção reduziria os custos e aumentaria a lucratividade. A empresa produziu 2.831 toneladas no primeiro trimestre, um aumento de 35% em relação ao mesmo período do ano anterior, com uma redução de 18% nos custos unitários. Possui cerca de US$ 147 milhões em caixa.


Fonte: Notícias de Minetação do Brasil

SINDIMINA - Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Extração, Pesquisa e Benefício de Ferro, Metais Básicos e Preciosos de Serrinha e Região

Rua Macário Ferreira, nº 522 - Centro - Serrinha-BA     / Telefone: 75 3261 2415 /  sindimina@gmail.com

Funcionamento :  segunda a sexta-feira, das  8h às 18h.