top of page

Jaguar Mining participa do V Simpósio Brasileiro de Metalogenia apresentando mais de dez trabalhos

Reforçando a integração entre indústria e academia, além das palestras a mineradora teve representação em mesa de debate sobre mulheres na mineração


O time de Geologia da Jaguar Mining participou na última semana da quinta edição do Simpósio Brasileiro de Metalogenia. O evento ocorre desde 2005 e é promovido pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em conjunto com a Agência para o Desenvolvimento e Inovação do Setor Mineral Brasileiro (Adimb), com a edição de 2023 sendo realizada em Gramado, na Serra Gaúcha.

O evento é um encontro científico com foco em recursos minerais que visa promover a interação entre universidades, setores governamentais e indústria mineral. O time Jaguar apresentou mais de dez trabalhos científicos relacionados aos depósitos auríferos na área de atuação da empresa. Foram trabalhos de graduação, mestrado e doutorado, além de trabalhos técnicos desenvolvidos internamente que muito contribuem para o desenvolvimento da pesquisa geológica dos nossos territórios e excelência dos nossos projetos em operação.

A expressiva participação da Jaguar Mining no simpósio é fruto de uma dedicação da empresa em incentivar a integração entre academia e indústria para a evolução do setor mineral, tema amplamente discutido pelo nosso Gerente de Geologia e Exploração, Armando José Massucatto, durante o evento. “É um verdadeiro enriquecimento para todo o setor estimular o fazer científico dentro das empresas. A atividade diária dentro de cada organização privada é muito intensa e voltada para resultados, mas é muito importante contar com o conhecimento científico para amplificar as metas empresariais. O fazer técnico só existe em função das pesquisas e não podemos perder essa essência. É por isso que estimulamos o time Jaguar Mining a estudar, escrever os projetos e participar deste tipo de evento”, explicou.

A participação da Jaguar Mining contou com apresentações orais e apresentações de posters técnicos dos seguintes Geólogos: Gabriel Faria Gonçalves, Leandro Rocha de Oliveira, Mateus Souza, Mayko Neves, Rodrigo Diniz Grossi, Tatiany Meira, Vanessa Resende de Andrade, Vítor Diniz Silveira e William Medina Leite Féres.


Mulheres na mineração

A geóloga de mina, Tatiany Alves, integrou a mesa redonda "As mulheres na mineração: Pesquisa Mineral e Academia". Em sua fala, compartilhou sua experiência na Jaguar, onde foi estagiária em 2017 e, há três anos, atua na Minas de Pilar, e também levantou um importante questionamento.

"Meu ponto principal foi contar um pouco de vivências que eu tive como mulher na mineração mesmo ainda com pouca experiência, demonstrando que estamos tendo conquistas e caminhando, porém, a passos lentos ainda." Ela também aproveitou para fazer um recorte racial dentro da discussão, convidando os participantes a "olharem ao lado e procurarem quantas pessoas negras nós tínhamos nesse evento." Tatiany levantou o questionamento sobre "a menor presença de pessoas negras nas universidades e nas empresas. Menos ainda em eventos como esses e em posições de liderança. Reforcei o quanto eu fiquei grata de participar da mesa, mas o quanto eu queria ver mais mulheres negras como eu nesses debates e eventos."

A geóloga acredita que, com o apoio institucional como o que encontra na Jaguar, os desafios da igualdade serão superados. “A participação feminina na Jaguar vem sendo destacada e ampliada, porém ainda esbarramos na retenção de talentos femininos. Acredito que com a manutenção de programas de mentoria, desenvolvimento de liderança com escuta ativa e incentivo à comunicação clara e empática, podemos superar este momento e consolidar a presença das mulheres em destaque na Companhia.”










Fonte: Conexão Mineral

0 comentário

Comentarios


bottom of page