Equinox Gold inaugura Mineração Santa Luz

A operação comercial está prevista para o final de julho, e a meta de produção está entre 70 e 90 mil onças do metal em 2022.




Com investimentos de aproximadamente US$ 103 milhões, a Equinox Gold inaugura, dia 7 de julho, a Mineração Santa Luz, localizada no município de Santaluz (BA). É a primeira planta industrial brasileira a aplicar resina no processo de lixiviação do ouro, atividade ambientalmente correta e de maior performance.


A unidade da Mineração Santa Luz iniciou as atividades de fundição em abril, após nove meses de obras. A operação comercial está prevista para o final de julho, e a meta de produção está entre 70 e 90 mil onças do metal em 2022. Quando estiver operando a plena capacidade, a Mineração Santa Luz, que desenvolve lavra em mina a céu aberto, tem potencial para produzir 100 mil onças de ouro anuais. “Consideramos que a Mineração Santa Luz será um divisor de águas, em termos de engenharia e de tecnologia para otimizar o processo de recuperação de ouro, por meio da resina. O time brasileiro enfrentou os desafios apresentados, especialmente em função de uma característica especial do minério da região, que é matéria carbonosa, estudou e testou alternativas até alcançar resultados significativos nesse sentido”, destaca o vice-presidente de Relações Institucionais e Licenciamento da Equinox Gold, Cesar Torresini.


Inicialmente, a Mineração Santa Luz fez uso do carvão ativado para a formação de sulfeto no processo de lixiviação, mas a performance não era satisfatória. Então, a empresa decidiu criar uma planta-piloto especificamente para fazer novos testes, agora usando a resina aniônica, desenvolvida em parceria com fornecedores. O resultado foi um ganho muito significativo em termos de recuperação. Atualmente, a Mineração Santa Luz consegue obter o ouro com uma pureza média de 98%. Além disso, o processo se tornou mais ecológico, uma vez que o carvão era encaminhado para o forno de regeneração, com liberação de carbono para o meio ambiente. Já a resina pode ser reutilizada até 15 vezes, dependendo da circunstância, após um procedimento de lavagem. “Saímos de uma mina desacreditada para uma mina de grande porte, que tem importante participação na estratégia global de expansão da Equinox Gold”, completa Torresini.

A Mineração Santa Luz tem potencial para, no futuro, crescer a partir de oportunidades de desenvolvimento subterrâneo e diversas metas de exploração dentro do greenstone belt (formações rochosas favoráveis à mineralização de ouro) que se estende até a outra unidade da Equinox Gold na Bahia, a Mineração Fazenda Brasileiro, localizada em Barrocas. Com a Mineração Santa Luz, a Equinox Gold consolida quatro unidades em atividade no Brasil, o que contribuirá para o plano da mineradora de atingir a marca de um milhão de onças de ouro por ano. Em 2021, a Equinox Gold registrou produção de 602,1 mil onças. A empresa ainda amplia seu papel de fomento à atividade mineradora na Bahia e de estímulo à economia local, com a geração de mais de 900 empregos diretos e terceirizados na etapa de operação e investimentos em projetos sociais em áreas como cultura, esporte, educação, capacitação profissional, empreendedorismo, entre outras.


A Mineração Santa Luz comemora também a marca de três milhões de horas trabalhadas sem acidentes com afastamento. O cálculo leva em consideração a soma de todas as horas de trabalho de todas as pessoas que atuaram na fase de construção da mineradora, conforme padrão de segurança do trabalho. No pico da obra, cerca de 1,6 mil profissionais participaram do projeto. O gerente de Saúde, Segurança, Meio Ambiente e Relacionamento com a Comunidade (SSMAC) da unidade, Ernesto Machado, disse que o resultado é reflexo de uma gestão eficiente da segurança, com foco em controles operacionais rigorosos e ferramentas preventivas.


Fonte: Brasil Mineral, assine e tenha acesso a um vasto conteúdo de notícias do setor mineral.

0 comentário