Comitê do governo federal habilita projeto de níquel da Horizonte Minerals

Projeto permitirá o aumento da reserva e da produção brasileira de níquel, além de prever investimento inicial da ordem de US$ 504 milhões com geração de 500 empregos diretos.

O Projeto Araguaia, da empresa Araguaia Níquel Metais Ltda., subsidiária da Horizonte Minerals, é o mais novo empreendimento habilitado na Política Pró-Minerais Estratégicos do governo federal. A decisão foi tomada pelo Comitê Interministerial de Análise de Projetos de Minerais Estratégicos (CTAPME), na 7ª Reunião Ordinária, realizada nesta terça-feira (20/09).


De acordo com a empresa Araguaia Níquel, a planta industrial, localizada em Conceição do Araguaia (PA), atingirá a capacidade total de aproximadamente 900 mil toneladas de minério seco/ano, para produzir 52 mil toneladas de ferroníquel, contendo 14.500 toneladas de níquel/ano.


Dessa forma, o projeto irá colaborar de maneira significativa para o aumento da reserva e da produção brasileira de níquel, além de prever um investimento inicial de US$ 504 milhões com geração de 500 empregos diretos, aproximadamente.


O projeto também promoverá cerca de 3 mil postos de trabalhos indiretos, além de representar a arrecadação de tributos gerados diretamente por suas operações na ordem de R$ 2 bilhões. As obras do Projeto Araguaia, já em andamento, devem ser concluídas no final de 2023 e a previsão de vida útil da mina é de 28 anos, prorrogáveis.


Minerais estratégicos


A Política Pró-Minerais Estratégicos, qualificada no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), pelo Decreto nº 10.657/2021, tem como objetivo selecionar projetos para o desenvolvimento do País e promover a articulação entre os órgãos do governo no sentido de unir esforços para a implantação de modo a ampliar a produção nacional de minerais estratégicos em bases ambientalmente sustentáveis.


O objetivo é garantir o suprimento de bens minerais dos quais o Brasil depende de importação. A meta é manter posição de grande produtor e exportador de bens minerais e permitir que o Brasil ocupe novos espaços, para tornar-se importante player em novas cadeias minerais, com forte demanda prevista a longo prazo.


De acordo com a Resolução nº 1, os pedidos de habilitação, devidamente fundamentados e instruídos, deverão ser submetidos pelo empreendedor para análise e deliberação do CTAPME, pelo e-mail ctapme.prot@mme.gov.br.


Fonte: Revista Mineração

0 comentário