Buritirama Mineração fecha contrato de 10 anos com a MinMetals



Buritirama Mineração fechou contrato com a chinesa MinMetals para embarcar 1,5 milhão de toneladas de manganês por ano para o conglomerado asiático. O contrato tem validade de dez anos e envolve o pré-pagamento, a título de antecipação de venda, no valor de US$ 400 milhões para os próximos 12 meses.

O novo negócio representará cerca de 60% da produção da Buritirama, que tem capacidade de produção de 2,5 milhões de toneladas ao ano. “A parceria com a Minmetals representa segurança no longo prazo para a companhia, além da oportunidade de aportar novos investimentos em nossa estrutura. Passamos a contar com uma nova plataforma de financiamento, proveniente de instituições financeiras parceiras e de clientes, abrindo o leque para seguirmos nosso plano de expansão e de geração de empregos”, afirma João Araújo, presidente da mineradora e Chairman do Grupo Buritipar.

A Buritirama prepara para os próximos anos um plano para ampliar a capacidade de produção para três milhões de toneladas anuais de manganês. A empresa pretende também investir em soluções para ampliar a produtividade, por meio da transformação de minérios de menor valor em produtos de alto valor agregado para seus clientes – como na inauguração recente de uma planta de sinterização em seu empreendimento de manganês em Marabá (MA), que consumiu R$ 130 milhões e elevou em 150 mil toneladas sua capacidade operacional, ao reaproveitar rejeitos da barragem. “Este é o modelo que acreditamos e temos adotado: investir cada vez mais em parcerias e soluções que levem sustentabilidade à cadeia da mineração e em tecnologia de ponta para atender com eficiência demandas de nossos clientes e parceiros no Brasil e no exterior”, explica Araújo.

Recentemente, o Grupo Buritipar contratou Adalberto Parreira para o projeto de expansão da Buritirama. O executivo esteve nos últimos 14 anos na CBMM, e exercerá a função de diretor de commodities e tecnologia no Grupo Buritipar, passando a contribuir para a estratégia de crescimento e de novos negócios nas commodities minerais do Grupo.


Fonte: Brasil Mineral

0 comentário