Amarillo busca novo financiamento para construção da mina de ouro de Posse

A Amarillo Gold deixou vencer um contrato de exclusividade para o financiamento da construção da mina de Posse no projeto de ouro Mara Rosa, em Goiás. A mineradora afirma que uma série de fatores reduziu os riscos da operação e agora busca uma “melhor opção” para obter o capital necessário para o desenvolvimento do ativo.


"Garantir o equilíbrio do financiamento da construção para o nosso projeto de ouro de Posse está demorando mais do que o previsto", admitiu o diretor-executivo da Amarillo, Mike Mutchler. No início do ano, após obter a Licença de Instalação (LI) para o projeto, a empresa afirmou que esperava fechar um financiamento de US$ 100 milhões a US$ 120 milhões já no segundo trimestre.

A companhia informou que tinha um contrato de exclusividade com um "financiador estabelecido", mas, desde que fechou o acordo, obteve uma série de avanços no projeto que incluem, além da LI, um contrato para construção de uma linha de energia para o projeto e o início da engenharia detalhada para o desenvolvimento da operação.

"A Amarillo concluiu a due dilligence técnica significativa, um processo que não levantou bandeiras vermelhas", declarou a empresa, referindo-se ao acordo de financiamento. Mas a empresa acrescentou que, diante dos avanços, "acredita que pode obter termos melhores do que os originalmente contemplados e decidiu permitir que a exclusividade expire".

"Reduzimos consideravelmente o risco do projeto desde a conclusão do estudo de viabilidade e, com uma sólida posição de caixa, acreditamos que devemos explorar todas as nossas opções para garantir que nossa escolha final minimize a diluição e maximize o retorno para nossos acionistas", salientou Mutchler.

Em nota, a mineradora afirmou que está "reconsiderando" os termos do financiador original e que atualmente possui "vários interessados que iniciaram seus processos de due diligence".


A empresa admitiu também que é "difícil" prever quanto tempo este processo levará, mas frisou que, com caixa equivalente a US$ 33,71 milhões, a maior parte aplicada em investimentos de curto prazo, tem "flexibilidade para investigar todas as opções de financiamento, mesmo enquanto continua a desenvolver Posse".

"A estratégia da Empresa é fazer os gastos necessários para cumprir o cronograma, minimizando sua exposição financeira até que o financiamento total da construção seja obtido", diz a nota.

Desenvolvimento

Atualmente, a companhia já possui 85% do terreno da área do projeto e afirma que o restante deverá ser adquirido nos próximos meses. A empresa também já concluiu 37% da engenharia geral detalhada do projeto, incluindo 91% da engenharia detalhada dos primeiros trabalhos, e afirma que o saldo da engenharia será baseado nas principais aquisições de equipamentos, ainda sujeitas ao financiamento.

A mineradora já adquiriu a estação de britagem da Metso Outotec e disse que o plano agora é adquirir projetos para o moinho de bolas para avançar a engenharia detalhada. "As informações técnicas do circuito de moagem foram adquiridas e estão sendo analisadas", disse.

Além disso, a empresa afirmou que também recebeu propostas de circuitos de filtração e eluição e planeja adquirir informações de engenharia de equipamentos. E também já tem em andamento o projeto de engenharia para a barragem de água, pilhas de estéril e estoque de minério de baixo teor.


Fonte: Notícias de Mineração do Brasil

0 comentário