Acidente mata trabalhador de empresa de rochas ornamentais



Um homem de 42 anos morreu na manhã de quinta-feira (19) enquanto trabalhava em uma empresa de mármore e granito em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo. Segundo militares do Corpo de Bombeiros que estiveram no local, chapas de granito caíram sobre a vítima, que foi identificada como Jefferson Xavier. O trabalhador deixa esposa e um filho.

A perícia da Polícia Civil foi acionada e o corpo encaminhado ao Serviço Médico Legal de Cachoeiro de Itapemirim.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Mármore, Granito e Calcário do Espírito Santo (Sindimármore), Messias Moraes Pizeta, esteve no local pela manhã mas disse que não conseguiu detalhes sobre o acidente.

"É um momento difícil, mas procuramos a família para colocar o sindicato a disposição para qualquer informação, qualquer dúvida. E encaminhamos também a denúncia aos órgãos competentes: Ministério Público do Trabalho (MPT) e Superintendência do Trabalho, para apurar o que de fato aconteceu", afirmou Pizeta.

Segundo ele, trata-se de um setor "extremamente perigoso" para os profissionais. De acordo com o sindicato, com o novo caso, o número de mortes de trabalhadores da área chega a 12 em todo o Estado apenas neste ano.

A reportagem procurou a Pemagran por telefone e também presencialmente e aguarda retorno. Funcionários da empresa informaram que a administração estava em reunião e não poderia atender a imprensa. Eles afirmaram ainda que as atividades foram suspensas pelo resto desta semana em virtude da morte do trabalhador e que os profissionais somente voltarão a trabalhar na segunda-feira (23).


A Gazeta também procurou a Polícia Civil, que informou que o caso segue sob investigação da Delegacia Especializada de Infrações Penais e Outras (DIPO) de Cachoeiro de Itapemirim e que não repassaria outras informações no momento para que a apuração dos fatos seja preservada.

MPT vai investigar o caso

O Ministério Público do Trabalho no Espírito Santo (MPT-ES) informou que teve ciência por meio da imprensa do acidente que provocou a morte do trabalhador e que vai abrir procedimento para realizar as investigações.

Serão analisados os relatórios de perícias técnicas a serem elaboradas pela Superintendência Regional do Trabalho (SRT) ou por outras equipes técnicas, depoimentos de testemunhas, documentos e outras medidas que se fizerem necessárias para o devido esclarecimento dos fatos e atribuição de responsabilidades pelos acidentes.

Ao constatar o descumprimento da legislação trabalhista, o MPT poderá propor aos investigados a assinatura de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC), com o objetivo sanar administrativamente as irregularidades constatadas no curso da investigação, ou mesmo ingressar com uma ação no âmbito da Justiça do Trabalho para a defesa dos direitos coletivos.

O MPT esclareceu ainda que a Coordenadoria Nacional de Defesa do Meio Ambiente do Trabalho (Codemat) atua no sentido de coibir o desrespeito à legislação de segurança, saúde e higiene do trabalho e garantir a integridade dos trabalhadores do setor de mármore.

O órgão também ressaltou que toda empresa deve se comprometer a fornecer equipamentos de proteção coletivo (EPCs) e equipamentos de proteção individual (EPIs) adequados a seus funcionários, bem como a cumprir as demais normas de saúde e segurança do trabalho, como a NR 22, que trata da segurança e saúde ocupacional na mineração, a fim de evitar a ocorrência de acidentes e de mortes.


Com informações de A Gazeta.

0 comentário

SINDIMINA - Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Extração, Pesquisa e Benefício de Ferro, Metais Básicos e Preciosos de Serrinha e Região

Rua Macário Ferreira, nº 522 - Centro - Serrinha-BA     / Telefone: 75 3261 2415 /  sindimina@gmail.com

Funcionamento :  segunda a sexta-feira, das  8h às 18h.