Vale negocia com Andrade Gutierrez obras em 8 barragens em MG


A Vale busca um acordo com a empreiteira Andrade Gutierrez para a realização de obras em oito barragens que tem em Minas Gerais. Na última semana, a mineradora teria acertado com a construtora fazer contrato de administração por obra. O acordo entre as duas companhias ainda depende de aprovação do conselho de administração da Vale.

Pelas conversas entre as duas empresas, a Andrade Gutierrez vai começar nos próximos dias uma análise para colocar em curso um plano para reconstruir as barragens da mineradora. Ainda não há um valor fechado para a reconstrução dessas barragens. Nas últimas semanas, a mineradora tem mantido conversas com empresas especializadas para avaliar suas barragens, disse agência Estado.

Os primeiros trabalhos da Andrade Gutierrez começarão a ser feitos na barragem em Barão de Cocais (MG). Há um estudo para a construção de um muro a seis quilômetros da barragem para conter os rejeitos antes de o processo de descomissionamento da barragem ser colocado em prática.

Envolvida na Operação Lava Jato, a construtora Andrade Gutierrez está se desfazendo de vários ativos para reduzir suas dívidas. Segundo uma fonte familiarizada com a construtora, as negociações para as obras de contenção das barragens da Vale darão um respiro à construtora, que enfrenta problemas financeiros.

Segundo o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, a companhia estaria em conversas com o grupo chinês Power China para firmar parcerias, com futura venda de seus negócios. De acordo com uma fonte próxima ao grupo, a Andrade não pretende se desfazer de sua participação da CCR, concessionária de rodovias, e não quer abrir mão da construtora.

Em nota, a Vale informou que "mantém contato regular com empresas especializadas para o desenvolvimento de obras de engenharia para suas operações".

"A Vale segue desenvolvendo estudos relacionados à contenção de algumas estruturas, tendo como premissa a preservação das condições de segurança dos trabalhadores e da população das cidades onde tais estruturas estão localizadas", disse a empresa em nota.

CPI

No último dia15, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado que investiga o rompimento da barragem da mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), se reúne com representantes do Ministério Público, para troca de informações sobre a tragédia e pontos da legislação sobre segurança de barragens que podem ser aperfeiçoados.

A CPI já ouviu seis pessoas, entre elas o ex-presidente da Vale Fabio Schvartsman, além de técnicos e engenheiros da companhia e de empresas contratadas pela mineradora que atestaram a segurança da barragem. Os depoimentos serão retomados no próximo dia 23. As informações são do Estadão Conteúdo.


SINDIMINA - Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Extração, Pesquisa e Benefício de Ferro, Metais Básicos e Preciosos de Serrinha e Região

Rua Macário Ferreira, nº 522 - Centro - Serrinha-BA     / Telefone: 75 3261 2415 /  sindimina@gmail.com

Funcionamento :  segunda a sexta-feira, das  8h às 18h.