Vale inicia geração de energia solar em um dos maiores parques da AL

Empreendimento no norte de MG está recebendo investimentos de R$ 3 bilhões e ocupa uma área de 1,3 mil campos de futebol.



A Vale deu início à operação do Projeto Sol do Cerrado, que vem sendo instalado no município de Jaíba, região norte de Minas Gerais. O empreendimento é um dos maiores parques de energia solar da América Latina, com potência instalada de 766 Megawatts-pico, o equivalente ao consumo de uma cidade de 800 mil habitantes. Quando estiver operando em plena capacidade, em julho de 2023, irá representar 16% de toda a energia consumida pela mineradora no Brasil.


O Sol do Cerrado, cujos investimentos somam cerca de R$ 3 bilhões (US$ 590 milhões), é composto por 17 subparques, dos quais quatro já foram energizados. A área ocupada é equivalente a cerca de 1,3 mil campos de futebol.


Quando estiver em plena capacidade, a usina contará com 1,4 milhão de placas solares com sistema de rastreamento automático da movimentação do sol durante o dia, para maior aproveitamento dos raios solares na geração de energia. Para o projeto, serão utilizados 10,2 milhões de metros de cabos por onde a energia será conduzida.


O projeto é um passo importante para ajudar a Vale a atingir suas metas climáticas de reduzir emissões líquidas de carbono (escopos 1 e 2) em 33% até 2030 e zerá-las até 2050. A companhia espera atingir 100% do consumo de eletricidade renovável no Brasil até 2025, e, globalmente, até 2030.


A energia gerada pelo Sol do Cerrado reduzirá as emissões da Vale em 134 mil tCO2e/ano, o que representa a emissão de aproximadamente 100 mil carros compactos*. O projeto foi levado pela Vale à Conferência do Clima (COP 27), que está ocorrendo em Sharm El Sheikh, no Egito.


As obras do Sol do Cerrado começaram em janeiro de 2021 e geraram cerca de 3 mil empregos no pico das atividades, quase 50% de mão de obra local e 16% de mulheres. Segundo a Vale, moradores da região foram capacitados e empregados para atuarem nas obras como pedreiros, mecânicos e profissionais em instalação elétrica industrial. Além disso, aproximadamente um quarto dos fornecedores contratados para implantação do empreendimento são da região.


Quando atingir a capacidade máxima de operação, em julho de 2023, o Sol do Cerrado contará com 90 trabalhadores permanentes de diversas qualificações, tais como eletrotécnicos, eletricistas e auxiliares em serviços gerais.


“O Sol do Cerrado é um projeto inédito para a Vale, que traz desenvolvimento local, energia renovável e está ligado ao nosso objetivo de sermos líderes em mineração sustentável”, afirma Eduardo Bartolomeo, presidente da Vale.


O projeto abrange ainda uma linha de transmissão de 15 quilômetros de extensão, com tensão de 230 mil volts, interligando as subestações Coletora Sol do Cerrado e Jaíba, de onde a energia é escoada para o Sistema Interligado Nacional.



Fonte: Revista Mineração

0 comentário