Vale conclui descaracterização de barragem em Nova Lima (MG)

A Vale concluiu as obras de descaracterização da barragem de rejeitos Fernandinho, no Complexo Vargem Grande, em Nova Lima, e a construção de uma barragem de contenção próxima à mina Fábrica, entre Ouro Preto e Itabirito, todas em Minas Gerais. As obras, que fazem parte do Programa de Descaracterização da mineradora, ainda vão passar por avaliação dos órgãos competentes.


Em nota, a Vale informou que, no caso de Fernandinho, localizada na mina Abóboras, foram removidos 558 mil metros cúbicos de rejeitos e a estrutura também recebeu um canal central de drenagem. A descaracterização incluiu ainda a revegetação e reintegração da área ao meio ambiente local.

"Com a conclusão das obras, Fernandinho deixa de ter características de barragem, perdendo a função de armazenamento de rejeitos e de água", declarou a empresa.

Fernandinho havia sido construída com alteamento a montante, método similar àquele empregado na barragem rompida em Brumadinho (MG) em 2019. Na nota, a Vale ressaltou que a descaracterização deste tipo de estrutura é um "compromisso" e uma "obrigação legal" imposta após o desastre com a barragem da mina do Córrego do Feijão, para "aumentar a segurança das comunidades e das operações".

"Desde 2019, seis estruturas a montante foram completamente descaracterizadas e reintegradas ao meio ambiente", observou a mineradora.

Contenção


Já a estrutura de contenção próxima à mina de Fábrica foi construída a jusante das barragens Forquilhas I, II, III, IV e Grupo. De acordo com a Vale, os 95 metros de altura e 330 metros de comprimento oferecem condição à obra de reter os rejeitos "em um cenário hipotético de ruptura simultânea", protegendo as Zonas de Segurança Secundária das referidas barragens, que incluem parte dos municípios de Itabirito, Raposos, Rio Acima e Nova Lima, além de três bairros de Belo Horizonte.

A Vale ressaltou ainda que a conclusão da estrutura "permite os preparativos para a descaracterização das barragens Forquilhas I, II, III e Grupo".

A barragem Forquilha IV está em nível 1 de emergência, Forquilhas I, II e Grupo estão em nível 2, e Forquilhas III em nível 3 do Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM).

"Todas as estruturas seguem com monitoramento instrumental contínuo, 24 horas por dia, sete dias por semana, gerido pelo Centro de Monitoramento Geotécnico da Vale", disse a empresa, acrescentando ainda que a estrutura "foi construída sob as mais rigorosas normas nacionais, as melhores práticas de engenharia e referências técnicas de entidades internacionais".

"A Vale segue avaliando junto com a auditora técnica do Ministério Público a necessidade de ações complementares", concluiu a mineradora.


Fonte: Notícias de Mineração do Brasil

Assinem ao NMB e tenha acesso a esse e outros conteúdos exclusivos.



0 comentário