Vale é autorizada a reativar operações na mina de Fábrica, em Ouro Preto (MG)



A Vale recebeu termo definitivo de desinterdição de operações na mina de Fábrica, em Ouro Preto (MG). A medida da Agência Nacional de Mineração (ANM) é válida para as plantas de beneficiamento e pelotização, além de lavra na área 15 do site.

A decisão da agência ocorreu após testes de processamento a úmido na operação realizados desde abril que, segundo a Vale, tinham objetivo de "avaliar impactos geotécnicos destas operações nas estruturas próximas ao site".

"Os testes, sob a supervisão e com a anuência dos órgãos reguladores e auditores externos, não detectaram incremento de risco às estruturas", afirmou a mineradora em nota divulgada na sexta-feira (23).

No documento, a companhia observou que a retomada do processamento a úmido em Fábrica permite a manutenção da produção "próxima a capacidade nominal de 6 milhões de toneladas por ano" da planta de beneficiamento, "além de garantir uma melhora na qualidade média do portfólio de produtos da Vale e maior flexibilidade operacional".

Apesar da desinterdição da planta de pelotização, a Vale afirma que optou por manter, "neste momento", a operação inativa por causa de restrições operacionais. Entre elas, a mineradora citou o acesso a certas frentes de lavras e a interdição de detonações, "que impactam a qualidade adequada para a produção de pellet feed".

No início do mês, a companhia concluiu a construção de uma estrutura de contenção próxima à mina, a jusante das barragens de rejeito Forquilhas I, II, III, IV e Grupo. A conclusão das obras permitirá agora que a empresa inicie os preparativos para a descaracterização das barragens.



Fonte: Notícias de Mineração do Brasil

Assinem ao NMB e tenha acesso a esse e outros conteúdos exclusivos.

0 comentário