Sob investigação por deslizamento de terra, Itaminas elimina uso de barragem

A Itaminas eliminou o uso de barragens de rejeitos com a utilização de um filtro prensa para desaguar os rejeitos de sua operação de minério de ferro em Sarzedo (MG). Segundo a mineradora, a tecnologia desenvolvida pela Andritz, empresa produtora de equipamentos de separação de sólidos e líquidos, permite tratar um grande volume de rejeitos por meio de um processo de filtração eficiente, seguro e sustentável que diminui a quantidade de água no material.


"Com esse recurso, eliminamos o uso de barragens de rejeito, criando assim um novo perfil de sustentabilidade e produtividade", afirma o diretor de produção e processamento da Itaminas, Geden Júnior. A Itaminas foi notícia no início da semana após o deslizamento de um talude na mina Engenho Seco, em Sarzedo, que soterrou três veículos, mas ninguém se feriu. Por causa do incidente, a Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) determinará a paralisação das obras no local onde foi constatado o deslizamento. Os testes iniciais do equipamento, segundo a Andritz, foram feitos em seu laboratório em Pomerode (SC), antes do início da operação na mineradora. Além de possibilitar a substituição da barragem de rejeitos por empilhamento a seco, a companhia destaca que o filtro prensa promove a otimização de processos e redução de despesas operacionais e de consumo de água - quase 9 mil m³ de água recuperada por dia. "O uso do filtro prensa overhead de última geração é um projeto robusto com velocidade máxima de descarga de tortas. Entre suas principais características, destaque para a abertura dupla do pacote de placas de filtragem, para a descarga de sólidos em alta velocidade, o dispositivo de lavagem de lonas filtrantes de braço duplo e para a alimentação bilateral que reduz o tempo de ciclo", destaca a empresa em nota. O gerente de projetos da Andritz, William Leonardi, destacou a parceria com a Itaminas principalmente na fase de campo de desenvolvimento do projeto. "A expectativa era muito grande devido à magnitude do projeto e o nível de inovação envolvido nos equipamentos. Portanto as equipes colocaram os esforços no propósito de ver a planta de filtragem operando 100%. Como consequência desta grande sinergia, é notória a evolução de cada fase do projeto, com destaque para a fase III, em que tivemos o recorde de montagem, comissionamento e startup em apenas 40 dias", ressaltou.

Fonte: Notícias de Mineração do Brasil

0 comentário