top of page

Sinobras investe mais de R$ 920 milhões em sua expansão que duplicará a capacidade produtiva

Siderúrgica Norte Brasil S. A está em fase de conclusão das obras


A Sinobras, empresa do Grupo Aço Cearense, está em fase de conclusão das obras que vão mais que duplicar a sua capacidade de produção. Com um investimento de mais de R$ 920 milhões, o projeto compreende a instalação da Laminação 2, com capacidade de produção de 500 mil toneladas/ano de aço laminado em bobina e spooler e uma nova subestação e linha de transmissão de 230kV, que tem o objetivo de suprir as novas necessidades de cargas elétricas da produtora de aço e propiciar a utilização de energia da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, da qual é sócia como autoprodutora. A expansão da Sinobras significa uma série de benefícios para a economia local, como a geração de mais de 1.000 empregos e o desenvolvimento regional.

Com a nova Laminação, a produção da empresa saltará de 380 para 850 mil toneladas de aço laminado/ano e disponibilizará para o mercado nacional novos produtos como o vergalhão em rolo (bobina e spooler) e fio-máquina, gerando oportunidade para a instalação de novas industriais de fabricação de produtos como pregos, parafusos e fixadores; móveis em aramado; arame galvanizado (cercas); e corte e dobra (construção civil).

Outra novidade é que com a instalação da nova Subestação e Linha de Transmissão de 230kV, que vai atender a demanda de energia necessária para o funcionamento da empresa, haverá a disponibilização de 52 MVA de energia elétrica no município de Marabá e região, possibilitando a instalação de outros empreendimentos, que necessitem de energia elétrica.

Geração de empregos e capacitação para a comunidade local

A Sinobras emprega mais de 1.500 pessoas diretamente e gera cerca de 19.600 empregos indiretos. Com a implantação da Laminação 2, a siderúrgica está gerando mais de 1.000 empregos durante a fase de implantação, além da contratação de fornecedores locais. Isso reforça o compromisso da empresa com o desenvolvimento do estado do Pará, onde está localizada, e com o crescimento do país.

Há também investimento em capacitação com o projeto Crescer, que disponibiliza treinamentos para a população local. Um exemplo é o curso de Laminação, realizado em parceria com o Senai de Marabá, totalmente gratuito e que já formou 50 jovens das comunidades próximas e colaboradores da siderúrgica. O curso teve o objetivo de proporcionar conhecimentos e habilidades técnicas nas operações do processo de laminação e após a sua conclusão, os participantes foram inseridos em uma base de dados prioritária para participação nos processos seletivos da Sinobras e alguns já foram contratados.

Energização da subestação

O projeto de expansão da Sinobras tem previsão de ser concluído no segundo semestre deste ano. A energização da Subestação e Linha de Transmissão de 230kV da siderúrgica está prevista para ser realizada em agosto e o início da operação da Laminação 2 logo em seguida.

"O investimento que a Sinobras está fazendo trará muitos benefícios, não somente para o Grupo Aço Cearense e para o mercado siderúrgico, mas também para a região e para o país. Esse crescimento é realmente um diferencial e contempla várias fases. Teremos ampliação de vestiário, outra portaria será implantada para comportar o novo fluxo de caminhões, novas áreas operacionais, tudo isso para atender a demanda que a expansão trará para a nossa empresa. Novas oportunidades de emprego também serão geradas e haverá condições para o desenvolvimento de um Polo Metal Mecânico em Marabá”, afirma Ian Corrêa, vice-presidente de operações do Grupo Aço Cearense.

Parceria que viabilizará a implantação do polo metalmecânico de Marabá

Além da expansão, a Sinobras e a Vale assinaram, em maio de 2022, um termo de compromisso para o desenvolvimento de uma Nova Aciaria para produção de tarugos de aço em Marabá. O propósito desse projeto é proporcionar o desenvolvimento de um polo metalomecânico, trazendo grandes oportunidades e instalação de novas empresas.

Pelo acordo assinado, a Vale apoia o projeto através da emissão de garantias que viabilizem o financiamento a ser contratado pela Sinobras para instalação da nova aciaria. Já a Sinobras é a responsável, além dos estudos de engenharia, pela implantação e operação da planta. A previsão para o início da produção da nova aciaria é após o startup da Tecnored, subsidiária da Vale que irá fornecer a matéria-prima (ferro gusa) para a nova aciaria, previsto para o 2º semestre de 2025.


Fonte: Conexão Mineral

0 comentário

Comentarios


bottom of page