Sigma avança construção em Grota do Cirilo

A Sigma Lithium Resources Corporation iniciou os trabalhos de terraplanagem do projeto de lítio de rocha dura Grota do Cirilo em Minas Gerais.



Além disso, a empresa começou a remoção da camada superficial do solo, limpeza e desbaste na área do local (planta e mina). Essas atividades seguem a conclusão da avaliação geotécnica para a engenharia civil e avaliação do impacto no projeto da fundação e quantidades de terraplenagem para construção da fundação para a planta de produção para a Fase 1 do Projeto, projetada para permitir futura expansão com a incorporação de uma segunda linha de produção.

As estimativas do Estado de Minas Gerais prevêem que os investimentos da Sigma gerem cerca de 400 empregos diretos na Fase 1 do Projeto, atraindo mais empresas para a região e gerando mais cerca de 6.000 empregos indiretos. O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, disse que o objetivo é ser amigo do investidor, gerando renda e empregos. “Temos muito mais a fazer por Minas Gerais. O que estamos construindo é apenas o primeiro passo. É uma operação que está em total sintonia com nossas melhores e mais modernas práticas de extração mineral”, disse Fernando Passalio, secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico.

A Sigma anunciou também a Promon Engenharia Ltda para o desenho e construção da Fase 1 do Projeto. A Promon se junta ao Grupo Primero da Austrália como equipe internacional de engenharia da Sigma para construção do Projeto. A Sigma continua avançando nas atividades de engenharia detalhada com a Promon, que agora se une à Primero para prestar serviços técnicos e de engenharia à Sigma na construção do Projeto.

Grota do Cirilo tem produção inicial estimada de 22 mil toneladas anuais de concentrado de lítio de alta pureza e deve ser concluído no terceiro trimestre de 2022.

A Sigma continua a fazer um progresso consistente com sua programação, apesar dos protocolos COVID-19 aumentados e contínuos. De acordo com a Sigma, a Promon foi selecionada por sua vasta experiência nas indústrias metalúrgica e química avançada e por seu processo de engenharia detalhado e focado. Já a Primero é uma das poucas empresas de engenharia com experiência direta em comissionamento e operação de construção de plantas de lítio, como resultado de seu trabalho em vários projetos de produção bem-sucedidos na Austrália, incluindo a experiência anterior de seu pessoal na mina Talison Greenbushes. A Primero aperfeiçoou a tecnologia para automatizar e controlar digitalmente a separação em meio denso em instalações de processamento de lítio. Em conjunto com a Sigma, a Primero desenvolveu os circuitos “verdes” para o fluxograma de processamento da planta de produção comercial do Projeto, incluindo a reciclagem de água e empilhamento a seco.

Como resultado do início de certas atividades relacionadas à construção, a Sigma atualizou sua licença ambiental (LP/LI) para o atual estágio de implementação do projeto. Nesse sentido, a empresa tomou as seguintes medidas como parte de seu compromisso com as práticas ESG: assinou Termo de Compromisso com os municípios de Araçuaí e Itinga para a criação de uma agência independente de investimentos como parte de seu compromisso com o desenvolvimento econômico e social, em cerimônia de assinatura presidida pelo Governador do Estado de Minas Gerais durante sua visita ao local do Projeto. A Agência de Investimentos promoverá o investimento privado e a diversificação econômica da região e está estruturada nos mesmos moldes da metodologia utilizada pelo Banco Mundial.

Além disso, a Agência será o fórum de discussão do desenvolvimento regional, colocando as cidades de Araçuaí e Itinga na agenda nacional e no mapa de investimentos internacionais. A Sigma doará (por meio de uma de suas partes relacionadas) aproximadamente 150 hectares de terras florestais para a criação de um parque estadual, como parte de suas iniciativas de “fixação” de carbono para diminuir as emissões e pegada na região. Esta área está localizada em uma alta serra a aproximadamente 140 km do Projeto e foi considerada potencialmente em risco de ser suprimida para pastagens de gado.

Esta transferência para o Instituto do Parque Nacional do Estado de Minas Gerais (IEF - Instituto Estadual de Floresta) é a compensação ambiental pela supressão da vegetação do tipo arbusto semiárido e cerrado nas áreas de minas do Projeto ou ao redor delas, conforme Licença ambiental atual da Sigma. “Receber o Governador de Minas Gerais no local do nosso projeto foi uma honra incrível para a Sigma. Queremos ser uma força positiva de mudança local, apoiando o desenvolvimento social da região do Jequitinhonha, bem como globalmente, fornecendo lítio de alta qualidade, alta pureza e sustentável a baixo custo para a indústria de veículos elétricos. Nossas ações reforçam nosso compromisso com o meio ambiente, a sociedade e nossos investidores. A Sigma sempre teve relações positivas e construtivas com a comunidade como um de seus valores centrais e a doação desta área florestal para a criação de um parque estadual promove os objetivos de preservação da Sigma de promover o progresso econômico sustentável da comunidade”, disse Ana Cabral-Gardner, Co-Presidente da Sigma.


Fonte: Brasil Mineral

0 comentário