SGB-CPRM apresentam sete projetos sendo executados na área oceânica brasileira

Serviço Geológico do Brasil participou do IV Simpósio Brasileiro de Geologia e Geofísica Marinha.


O diretor de Geologia e Recursos Minerais (DGM) do Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM) , Marcio Remédio, foi destaque no último dia do IV Simpósio Brasileiro de Geologia e Geofísica Marinha, que aconteceu semana passada, em Salvador (BA). O evento que debateu os Desafios da Geologia e Geofísica Marinha num Cenário de Mudanças Climáticas e Instabilidade Planetária contou com a participação de pesquisadores representantes do SGB-CPRM atuantes na área de Geologia Marinha.


Em sua palestra, Marcio reforçou o papel do SGB-CPRM, que há dez anos vem contribuindo para o desenvolvimento de pesquisas na área. O diretor apresentou os planos e projetos da empresa na área de Recursos Minerais Marinhos, destacando o investimento na viabilização de fontes de energia alternativas não carbônicas, e os mapeamentos que vêm sendo executados na costa de Nordeste - onde são realizados estudos sobre o uso de granulados marinhos como remineralizadores de solo.


“A maior área do nosso planeta é de cobertura oceânica, daí a necessidade de darmos atenção específica sobre esse ambiente. Por meio do estudo da geologia marinha e do potencial mineral marinho, podemos evoluir na descarbonização das fontes de energia elétrica. A exploração de cobalto, é um exemplo. O Brasil possui uma das maiores reservas do minério não utilizadas no mundo, presentes em nódulos polimetálicos e crostas cobaltíferas e identificadas no assoalho oceânico da costa brasileira. O aproveitamento econômico e sustentável dessas ocorrências irá contribuir fortemente para o desenvolvimento de novas fontes de energia limpa, que possam atender a demanda e a economia mundial”, destacou.


Já a chefe da Divisão de Geologia Marinha (Digeom) do órgão, Luciana Felício, revelou que a empresa tem focado no desenvolvimento de produtos diversos, entre os quais estão a exploração dos depósitos de Fosforita na Plataforma Continental Jurídica - no terraço do Rio Grande - e o projeto sobre a geologia marinha do arquipélago de Fernando de Noronha (PE).


Durante os três dias de evento, sete projetos desenvolvidos pelo SGB-CPRM foram apresentados ao público. A empresa manteve um estande, onde técnicos tiveram a oportunidade de expor seus estudos a representantes das instituições membro do Programa de Geologia e Geofísica Marinha (PGGM); alunos de graduação e pós-graduação; além de outros profissionais que atuam na área de Geologia Marinha.


Nesta edição, O Simpósio teve como objetivo atualizar os representantes das instituições-membro do PGGM, estudantes e profissionais das Ciências do Mar sobre os impactos das mudanças climáticas e dos conflitos políticos na Europa Ocidental, assuntos que influenciam, diretamente, na demanda por fontes de energia alternativas não carbônicas e por minerais como fosfato, cobalto e nióbio, considerados estratégicos para o Brasil.



Fonte: Conexão Mineral

0 comentário