Projeto de mineração ameaça arquipélago de Humboldt, tesouro natural do Chile

Com investimento de US$ 2,5 bi, 'Dominga' pretende explorar jazida de ferro e cobre





No norte do Chile existe um arquipélago intocado, refúgio de pinguins e lontras ameaçados, que segundo ativistas climáticos e cientistas está em risco pela construção do projeto mineiro e portuário Dominga no deserto do Atacama . Localizado a cerca de 530 km ao norte de Santiago e ao largo da costa do município de La Higuera, o arquipélago de Humboldt abriga 80% da população mundial de pinguins de Humboldt em perigo de extinção, em suas oito ilhas. Três delas são protegidas como reserva nacional. É também o lar de chungungos a menor lontra do mundo e também em perigo de extinção e de centenas de leões-marinhos e golfinhos nariz-de garrafa, que nadam entre algas e cardumes de peixes. Suas águas atraem milhares de aves, que repentinamente voam quando enormes baleias, até 14 espécies, sobem à superfície das profundezas do Pacífico para respirar.

Cientistas do mundo todo reconheceram que não há um lugar como este no planeta", acrescenta. Por esse motivo, cientistas, ativistas e moradores do litoral rejeitam o projeto de mineração Dominga, na região de Coquimbo. Com um investimento de US$ 2,5 bilhões (R$ 13,6 bilhões), o projeto pretende explorar, a céu aberto, uma jazida de ferro e cobre, destaca a proprietária Andes Iron, em seu site. Nesta zona desértica perto do povoado de La Higuera, uma estação de tratamento e tanques também serão construídos. O projeto inclui ainda a construção de uma central de dessalinização e um porto de carga de minerais em Totoralillo, em torno de 26 km a oeste da jazida e a 30 km do arquipélago.



Pescadores e moradores de La Higuera protestam contra o projeto de mineração Dominga

CRIME AMBIENTAL


Para Gaymer, o projeto Dominga é como instalar um porto mineiro nas Ilhas Galápagos , no Equador , e para Matías Asun, diretor do Greenpeace Chile, é um "verdadeiro crime ambiental". "Fazer um projeto de mineração lá, mesmo o melhor projeto de mineração que se possa fazer, é o equivalente a colocar uma discoteca em uma maternidade", compara Asun. Os pescadores artesanais da localidade de Punta de Choros, que acordam todos os dias com a vista das ilhas de onde estão, na costa, administram as áreas de gestão sustentável ou de pesca há gerações. "Talvez a riqueza que possuímos não seja material, mas está em nosso arquipélago, em navegar livremente por nossas ilhas", defende Elías Barrera, terceira geração de pescadores e mergulhadores coletores "Para nós, a mineração Dominga é a destruição da nossa cultura ancestral do povo Chango, que predomina há mais de 10 mil anos nestes territórios, vivendo de forma íntegra e sustentável com nosso meio ambiente", completa. Nos arredores, vivem guanacos, raposas do deserto e colônias de papagaios Tricahue –coloridos, grandes e em perigo de extinção–, que gritam sem parar ao entardecer em seus ninhos construídos em paredes de areia. A empresa recusou os pedidos da AFP para comentar o projeto.


Fonte: Folha de São Paulo

0 comentário