top of page

Projeto da TriStar Gold, no Pará, pode ter licença este ano

A Semas informou que o projeto Castelo de Sonhos está no topo da fila para análise do EIA.


A TriStar Gold pretende obter no terceiro trimestre deste ano a licença ambiental para seu projeto de ouro, de US$ 261 milhões, em Castelo de Sonhos, no estado do Pará. “A equipe da TriStar se reuniu com os reguladores da Secretaria de Meio Ambiente (Semas) do estado do Pará, em Belém, para confirmar a situação e os prazos para o recebimento da licença”, disse a empresa em comunicado.


A Semas informou que o projeto Castelo de Sonhos está no topo da fila para análise do EIA. “Eles continuam comprometidos com uma visita técnica ao local em março de 2023, que é o próximo grande evento, para revisar nossas práticas de gestão ambiental e engajamento social e confirmar as conclusões do EIA”, acrescentou o órgão.


Além da licença solicitada pela TriStar em julho de 2022, estão em andamento as avaliações da licença de instalação, que permite a construção da planta de processamento e infraestrutura, e da licença de operação. A companhia tem trabalhos avançados em estudos de relevância de cavernas e iniciará estudos arqueológicos detalhados.


A etapa de licenciamento ambiental envolve diversos órgãos governamentais, bem como partes interessadas locais e detalha os impactos e benefícios ambientais, sociais e econômicos, disse a empresa. O CAPEX inicial aumentou de US$ 184 milhões para US$ 261 milhões, devido à expansão da capacidade da planta, à inclusão de uma frota de mineração operada pelo proprietário e ao aumento dos custos, de acordo com o estudo de pré-viabilidade mais recente, de 2021. A produção média é estimada em 121 mil onças/ano em 11 anos.


Fonte: Brasil mineral, assine e tenha acesso a um vasto conteúdo de notícias do setor mineral

0 comentário

Comments


bottom of page