Produção mineral comercializada da BA alcança R$ 7,8 bi em 9 meses

PMBC cresceu 15% em relação ao mesmo período do ano passado, quando apurou R$ 6,8 bilhões.


Segundo informações do Sumário Mineral de Outubro/2022, divulgado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Bahia, nesta quarta-feira (26/10), de janeiro a setembro de 2022, a Produção Mineral Baiana Comercializada (PMBC) atingiu a marca de R$ 7,8 bilhões. O valor é 15% superior ao registrado no mesmo período do ano passado, quando alcançou R$ 6,8 bilhões. Ainda no mesmo período, a Compensação Financeira pela Exploração Mineral (CFEM) baiana foi de R$ 138 milhões.


“A secretaria trabalha na atração e manutenção de empreendimentos em todo o território baiano, então é animador ver os resultados positivos, a participação e a geração de emprego e renda nas cidades. Os principais municípios participantes na PMBC são Itagibá (19%), com produção de níquel; Jacobina (17%), onde se produz ouro e Jaguarari (12%), com produção de cobre. De janeiro a setembro de 2022, o estado arrecadou R$ 160 milhões em ICMS do segmento”, destaca José Nunes, secretário de Desenvolvimento Econômico.


Os principais bens minerais produzidos de janeiro a setembro deste ano foram ouro (25%), cobre (21%) e níquel (19%). De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), em setembro de 2022, o estado contabilizou 14,6 mil empregos formais na extração de minerais metálicos, não metálicos e atividades de apoio, exceto Petróleo e Gás.


Fonte: Revista Mineração

0 comentário