Produção em queda no primeiro trimestre

Este recuo é explicado pela maior necessidade de processar estéril em Serra Norte, devido à presença de estéril jaspilito.


A Vale produziu 63,9 milhões de toneladas de finos de minério de ferro no primeiro trimestre de 2022, 4,1 milhões de toneladas a menos que o mesmo trimestre de um ano antes. Este recuo é explicado pela menor disponibilidade de ROM e a maior necessidade de processar estéril em Serra Norte, dado os atrasos de licenciamento; maior relação de estéril/minério e efeitos tie-in devido à presença de estéril jaspilito no corpo mineral em S11D e à instalação de dois novos britadores primários para processar o jaspilito; interrupção durante quatro dias da Estrada de Ferro Carajás devido às fortes chuvas em março ; e ao impacto das chuvas em Minas Gerais em janeiro, interrompendo temporariamente as operações dos Sistemas Sul e Sudeste, e também impactando a disponibilidade de compra de minério de terceiros. Todos estes impasses foram parcialmente compensados pela melhoria da capacidade de produção dos Sistemas Sul e Sudeste, após o comissionamento e retomada de vários ativos ao longo de 2021.


Os volumes de vendas de finos e pelotas de minério de ferro somaram 60,6 milhões de toneladas entre janeiro e março, com prêmio de US$ 9,0/t no primeiro trimestre de 2022, um aumento de US$ 4,3/t em comparação ao último trimestre de 2021, graças ao maior spread entre os índices 65% Fe e de minério de baixa alumina vs. o índice 62% Fe referência; e melhor qualidade do mix de produtos, à medida que alguns minérios de alta-sílica estão sendo concentrados em plantas de beneficiamento chinesas antes da venda final. Estes efeitos foram parcialmente compensados pela ausência dos dividendos sazonais das joint ventures de pelotizadoras.


A produção de níquel acabado foi de 45,8 mil t no primeiro trimestre do ano, 5,4% inferior ao mesmo período de 2021. A queda aconteceu devido ao ramp-up das minas de Sudbury durante o trimestre após a paralisação do trabalho, impacto remanescente do incidente na mina Totten, ramp-up do projeto VBME, e manutenção não programada do forno elétrico de Onça Puma. Os efeitos foram parcialmente compensados por uma maior produção de minérios provenientes de PTVI e Thompson e um maior feed de terceiros.


A Vale projeta que a produção de níquel esteja em linha com o guidance de 175-190 mil t. As vendas de níquel foram 18,8% inferiores ao primeiro trimestre de 2021, principalmente devido à menor produção e a uma estratégia de estoque para cobrir os compromissos de vendas durante o período de manutenção planejada em Sudbury, no segundo trimestre deste ano. Isto também explica a diferença entre vendas e produção no trimestre.


A produção de cobre foi de 56,6 mil t no trimestre, 26,0% a menos que no mesmo trimestre do último ano, por causa da menor produção em Sossego, que operou por 24 dias durante o trimestre e devido à manutenção programada no moinho SAG. A manutenção, originalmente programada para ser concluída no primeiro trimestre de 2022, está agora planejada para ser concluída em meados de maio, a fim de antecipar a substituição do munhão de descarga do moinho SAG, que estava planejado para uma manutenção futura. A produção de Salobo foi relativamente estável, apesar da manutenção corretiva dos revestimentos do moinho durante o trimestre.


A produção de pelotas alcançou 6,924 milhões de toneladas no primeiro trimestre de 2022, um aumento 10% em relação ao primeiro trimestre de 2021, devido ao maior desempenho na planta de Omã e menor ocorrência de atividades de manutenção realizadas no período, o que foi parcialmente compensado pelo desempenho de São Luís devido à menor disponibilidade de pellet feed e uma manutenção programada mais longa do que o esperado na planta de Tubarão 3.



Fonte: Brasil Mineral


0 comentário