Produção de ouro da Serabi supera expectativa do primeiro trimestre

A Serabi registrou a produção de 8.087 onças de ouro nas minas Palito e São Chico, no Pará, no primeiro trimestre do ano. O volume é 10,34% menor na comparação com as 9.020 onças produzidas no mesmo período de 2020, mas representa uma melhoria de 19% e 11% sobre a produção de 6.790 onças e 7.254 onças produzidas no terceiro e quarto trimestre do ano passado, respectivamente.


Apesar da redução na comparação anual, o volume produzido entre janeiro e março é 16% maior que a previsão da empresa para o período, devido, segundo a Serabi, a um aumento no teor da produção.

Ainda conforme a companhia, o volume produzido entre janeiro e março reforça a faixa de meta para o ano, de produzir entre 33.000 e 36.000 onças de ouro no Complexo Palito, e "a previsão de produção em 2022 aumentando para aproximadamente 45.000 onças".

De acordo com a empresa, as 8.087 onças foram produzidas a partir do processamento de 41.462 toneladas de minério com um teor médio geral de 6,27 g/t Au, obtido a partir de minério de rocha dura extraído das minas Palito e São Chico e complementado pelo processamento de 6.108 toneladas de rejeitos de flotação estocados de superfície com teor médio de 2,2 g/t Au.

"Em 31 de março de 2020, havia estoques de minério bruto de aproximadamente 5.000 toneladas de minério com um teor médio de 2,5 g/t Au. Este estoque continua a ser consumido lentamente e usado como um 'complemento' para o minério ROM para manter a planta cheia", informou a empresa.

"Foi um início de ano muito encorajador do ponto de vista operacional, superando confortavelmente nossa previsão interna. Após os desafios de 2020, esperava-se que este primeiro trimestre apresentasse o nível mais baixo de produção de ouro para 2021, portanto, alcançar uma melhoria de 16% representa um excelente resultado", salientou o diretor-executivo da Serabi, Mike Hodgson.


"No ano passado, experimentamos uma redução nas qualidades minadas médias como consequência de sermos um tanto restritos nas áreas de mineração disponíveis após as reduções de mão de obra, portanto, alcançar uma melhoria de 20% nas classes mineradas e moídas em comparação com o quarto trimestre de 2020 é muito agradável", acrescentou ele.

Hodgson observou ainda que, apesar de "uma segunda onda agressiva" de Covid-19 vivida no Brasil atualmente, as ações preventivas da empresa "têm sido críticas e, a partir de 2021, permitiram à companhia restaurar o quadro de pessoal in loco aos níveis pré-pandêmicos, o que se reflete nos resultados do primeiro trimestre".


Fonte: Notícias de Mineração do Brasil

0 comentário