Produção de minério de ferro cresce 3% em 2021

A Anglo American prevê que 2022 será um ano de avanço na construção de Quellaveco, a nova mina de cobre da companhia no Peru.



A produção anual de minério de ferro da Anglo American aumentou 3% em 2021, embora menor no trimestre, apesar da manutenção não planejada em Minas-Rio e ferrovias terceirizadas, tenha havido desempenho abaixo dos níveis planejados, afetando a produção de Kumba para o ano.


Já a produção de níquel teve crescimento de 12%, alcançando 64 mil toneladas. A produção de carvão metalúrgico aumentou 5%, reflexo do aumento na produção na operação a céu aberto de Dawson, parcialmente compensada por Moranbah, que continua sendo afetada por áreas de geologia desafiadora. A produção anual das operações de cobre ficou em linha com o ano anterior, mitigando os desafios contínuos da água devido às severas condições de seca.


Segundo Mark Cutifani, CEO da Anglo American, a empresa operou com níveis operacionais em aproximadamente 95% da capacidade normal ao longo do ano, em grande parte devido aos efeitos contínuos relacionados à COVID-19.


As operações de Platinum Group Metals (PGMs) mais que dobraram a produção refinada no trimestre e resultaram em uma produção refinada recorde de 5,1 milhões de onças, o que reduziu substancialmente o estoque de trabalho em andamento e resultou em um aumento de 62% na produção de níquel para 22.300 toneladas no ano.


A produção no quarto trimestre foi beneficiada pela maior produção de diamantes brutos na De Beers, um retorno aos níveis de produção pré-Covid nas minas de carvão metalúrgico a céu aberto e melhor desempenho de mineração em Amandelbult, o que resultou em maior produção de metal em concentrado de negócios de PGMs. “Em nossas operações de cobre, a produção de Collahuasi aumentou como resultado do forte desempenho da planta e manutenção planejada no período comparável de 2020”, disse Cutifani.


A Anglo American prevê que 2022 será um ano de avanço na construção de Quellaveco, a nova mina de cobre da companhia no Peru. A mineradora segue dentro do orçamento e extraiu o primeiro minério em outubro de 2021. A primeira produção de cobre concentrado é aguardada para a metade deste ano. A mina de Quellaveco deve produzir algo entre 120.000-160.000 toneladas de cobre no ano e uma média de 300.000 toneladas por ano nos primeiros dez anos em plena produção.



Fonte: Brasil Mineral

0 comentário