top of page

Produção da Anglo American aumenta 52%

A produção de diamantes cresceu 6% no trimestre


A Anglo American produziu 161 mil t de cobre no quarto trimestre de 2022, um aumento de 52% devido ao ramp-up da produção da nova mina de cobre Quellaveco, no Peru, enquanto a produção das operações no Chile se manteve estável. A produção de diamantes atingiu 7.7 quilates no trimestre, 6% superior ao último trimestre de 2021, o que demonstra o forte desempenho operacional, particularmente em Jwaneng, que foi parcialmente compensado pela conclusão planejada do corte final na mina a céu aberto de Venetia.


A produção de carvão siderúrgico aumentou 6% no quarto trimestre de 2022, com um volume de 4.4 milhões de toneladas sobre o mesmo período de 2021. O crescimento deveu-se às três operações longwall subterrâneas operando no quarto trimestre de 2022, parcialmente compensadas pelo fim planejado da produção na operação de Grasstree, em janeiro de 2022.



Já a produção de minério de ferro alcançou 15.1 milhões de toneladas, um incremento de 4%, refletindo maior disponibilidade da planta Minas-Rio, e melhor desempenho operacional na mina Sishen, de Kumba, que mais do que compensou as restrições na produção de Kolomela, resultantes do desempenho decepcionante da logística de terceiros.



A produção de concentrado de metal da Anglo American somou 1.103 onças no último trimestre de 2022, correspondente às operações Platinum Group Metals (PGMs). Houve queda de 10% quando comparado ao último trimestre de 2021, em razão do impacto de teores mais baixos em Mogalakwena e fechamentos planejados de infraestrutura em Amandelbult.



A produção de níquel caiu 4% no trimestre, para 10.6 mil t, principalmente devido à manutenção anual planejada. "Nossa produção aumentou 10% no quarto trimestre em comparação com o mesmo período de 2021, impulsionada pelo ramp-up contínuo em Quellaveco, que produziu mais de 80.000 toneladas de cobre Nossas operações de carvão siderúrgico também contribuíram com todas as três operações de longwall em execução, enquanto observamos maior produção de diamantes brutos da De Beers e melhor desempenho operacional em Minas-Rio e Kumba, nossos negócios de minério de ferro. desempenho mais fraco em nossas operações de PGMs”, disse Duncan Wanblad, diretor executivo da Anglo American.



Em 2023, a Anglo American manterá o foco em garantir uma plataforma segura e estável para desempenho operacional fortalecido, enquanto avança em direção às metas de sustentabilidade e no crescimento orgânico planejado. “A conclusão da transação em janeiro para combinar o primeiro modo e o nuGen TM - nosso sistema de transporte de emissões zero - foi projetado para acelerar o desenvolvimento e a comercialização dessa tecnologia inovadora de descarbonização enquanto trabalhamos para operações neutras em carbono até 2040”.



A Anglo forneceu eletricidade 100% renovável nas operações na Austrália a fim remover, a partir de 2025, todas as emissões do Escopo 2 do negócio de carvão siderúrgico. A empresa também concluiu a primeira fase de um projeto integrado de água para a operação de cobre de Los Bronces, no Chile, que garante água dessalinizada para mais de 45% das necessidades de Los Bronces a partir de 2025, além de fornecer água limpa para as comunidades locais.


Fonte: Brasil Mineral , assine e tenha acesso a um vasto conteúdo de notícias do setor mineral

0 comentário

Komentáře


bottom of page