top of page

Petrobras comemora seu aniversário de 70 anos


Iniciando as comemorações do seu aniversário de 70 anos, a Petrobras promoveu hoje (3/10) uma cerimônia no Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), no Rio de Janeiro. No evento, estiveram presentes o presidente da empresa, Jean Paul Prates e a diretoria executiva, além de, representando o ministro de Minas e Energia, o secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis e presidente do Conselho de Administração da Petrobras, Pietro Mendes, entre outras autoridades. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou um vídeo, que foi exibido na cerimônia. O evento também foi transmitido online para as unidades da Petrobras e para o público em geral pelo Youtube.

“A Petrobras é a empresa mais extraordinária já criada no Brasil. Ela vai além de uma companhia de petróleo e gás: estamos trabalhando para que volte a ser uma companhia de desenvolvimento industrial e energético, e de pesquisa. A Petrobras tem tudo para liderar a transição energética e aproveitar a oportunidade única do Brasil ser o maior centro de energia renovável do mundo. Isso tudo por causa da gente qualificada que é motivo de orgulho da companhia. Parabéns a todos os trabalhadores! A Petrobras está de volta mais forte, mais poderosa e com vontade de produzir ainda mais para o país continuar crescendo”, disse o presidente Lula na mensagem gravada.

“Sete décadas são tempo suficiente para testemunhar importantes marcos da história e, no caso da Petrobras, para fazer história. Essa empresa nasceu da vontade popular, do povo na rua e também da vontade política de fortalecer a soberania nacional. Nosso futuro está intimamente ligado ao nosso passado, que nos credencia a almejar conquistas ainda maiores. A Petrobras chega aos 70 anos com um propósito tão firme quanto em sua fundação: de impulsionar o Brasil, para protagonizar mudanças e transformações fundamentais”, declarou o presidente da companhia, Jean Paul Prates.

Além da história da companhia, seu futuro também foi destaque no evento. A descarbonização de processos e produtos, e a transição energética justa para todos foram elencadas como grandes prioridades da Petrobras. Combustíveis sustentáveis, eólica offshore, hidrogênio verde e outras soluções de baixo carbono são alguns projetos para alcançar o desafio de novas fontes de energia mais limpas e renováveis.

Completando a cerimônia, a Orquestra Petrobras Sinfônica guiou as apresentações musicais. Além disso, foram reveladas mensagens da ação #TBT Missão Netuno escritas por brasileiros, há dez anos, sobre como imaginavam o mundo em 2023. Após tê-las mantido guardadas no pré-sal, dentro de uma cápsula do tempo, por todo esse período, a Petrobras as aproveita como inspiração para um balanço sobre os avanços da última década para a companhia e para a sociedade.

70 anos

Fundada em 3 de outubro de 1953, a Petrobras se desenvolveu junto ao Brasil e se tornou a maior empresa do país, um ícone para os brasileiros. Referência internacional no setor de óleo e gás, a companhia alcançou conquistas notáveis e se tornou uma empresa de relevância global.

O impulsionamento da indústria de energia, a descoberta do pré-sal, a liderança tecnológica em águas profundas, a inovação de ponta, e o compromisso socioambiental são marcos na história da companhia ao longo das últimas sete décadas.

A Petrobras chega aos 70 anos como a maior investidora do novo PAC do governo federal (R$ 323 bilhões). A companhia é a maior operadora de petróleo em alto mar do mundo e uma das produtoras de petróleo com menos emissões do mundo e conta com um parque de refino com crescente nível de eficiência e produtividade.

Olhando à frente, para os próximos 70 anos os objetivos da Petrobras se voltam para a sustentabilidade do negócio e do mundo. A transição energética é uma filosofia com a qual toda a empresa está em sintonia e determinada.

O Brasil é a nossa energia

Incentivar a regionalidade é um dos objetivos estratégicos da Petrobras aos 70 anos, ao mesmo tempo em que lida com um dos maiores desafios da história da companhia: liderar o movimento de transição energética justa no país, se posicionando como protagonista do novo momento, reconectada às demandas da sociedade e valorizando a diversidade.

A empresa já começou a enfrentar o desafio. Além de ser a companhia que mais detém conhecimento do ambiente marítimo brasileiro, a Petrobras comemora seu aniversário de 70 anos como a empresa com o maior potencial de geração eólica do Brasil. A posição foi alcançada graças ao pedido de licenciamento ambiental, junto ao Ibama, de dez áreas marítimas com potencial de desenvolvimento de energia de até 23 GW.

Em outra área promissora, a de biorrefino, a companhia tem intensificado sua atuação, ampliando a produção de combustíveis com conteúdo renovável, ao mesmo tempo em que busca diversificação rentável com novos negócios nos segmentos de hidrogênio e captura de carbono.

Entre 2015 e 2022, a Petrobras conseguiu reduzir em 39% suas emissões absolutas operacionais de gases de efeito estufa, com aumento da eficiência em emissões em todos os segmentos onde atua. A redução, alinhada com a ambição de zerar emissões absolutas operacionais até 2050, reforça o compromisso da empresa em expandir sua atuação em negócios de baixo carbono.

Linha do tempo dos 70 anos da Petrobras

1953 – Criação da Petrobras

1961 – Inauguração da Reduc, em Duque de Caxias (RJ).

1963 – Inauguração do Centro de Pesquisas, Desenvolvimento e Inovação Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), no Rio de Janeiro.

1968 – Primeira descoberta de petróleo no mar (campo de Guaricema, em águas rasas, Sergipe).

1977 - Início da produção na Bacia de Campos, no campo de Enchova, com a instalação do primeiro Sistema de Produção Antecipada (SPA), desenvolvido por técnicos da Petrobras.

1984 – Descoberta do primeiro campo gigante em águas profundas da Petrobras: Albacora, na Bacia de Campos.

1986 – Lançamento do Programa de Capacitação em Águas Profundas e Ultraprofundas (Procap), que alavancou o desenvolvimento de tecnologias para águas profundas pela Petrobras.

1987 – Patrocínio à Orquestra Petrobras Sinfônica

1988 – Entrada em operação do campo de Urucu, no Amazonas.

1992 – Primeiro prêmio OTC (Offshore Technology Conference) entregue à Petrobras (em reconhecimento às tecnologias pioneiras para viabilizar a produção do campo de Marlim, na Bacia de Campos).

1994 - Entrada em operação da P-18, primeira plataforma semissubmersível totalmente desenvolvida pelos técnicos da Petrobras, no campo de Marlim, na Bacia de Campos.

1994 – Patrocínio à retomada do cinema brasileiro.

1996 – Patrocínio ao Projeto Baleia Jubarte.

1997 – Entrada em operação do primeiro FPSO da Petrobras, que é um navio petroleiro adaptado para operar como plataforma, com as funções de produzir, processar, armazenar e transferir o óleo armazenado. Hoje a Petrobras é a empresa que mais opera FPSOs no mundo.

2001 – Segundo prêmio OTC (em reconhecimento às tecnologias desenvolvidas para o campo de Roncador, na Bacia de Campos).

2002 – Lançamento da gasolina Podium.

2006 – Descoberta do pré-sal (acumulação de Tupi).

2008 – Primeiro óleo do pré-sal (P-34, campo de Jubarte, na porção capixaba da Bacia de Campos).

2008 - Petrobras batiza a P-51, primeira plataforma semissubmersível construída integralmente no Brasil.

2010 – Entrada em operação da primeira plataforma definitiva no pré-sal da Bacia de Santos (FPSO Cidade de Angra dos Reis, campo de Tupi).

2015 – Terceiro prêmio OTC (em reconhecimento às tecnologias desenvolvidas para o campo de Tupi, na Bacia de Santos).

2015 – Patrocínio ao Time Petrobras

2018 – Entrada em operação do primeiro FPSO do campo de Búzios (o maior campo de petróleo em águas ultraprofundas): P-74.

2017 – Início de produção do bloco de Libra, no pré-sal da Bacia de Santos.

2021 – Quarto prêmio OTC entregue à Petrobras (em reconhecimento às tecnologias desenvolvidas para o campo de Búzios, na Bacia de Santos).

2023 – Petrobras torna-se a empresa com maior potencial de geração eólica do Brasil.



Fonte: Conexão Mineral



0 comentário

Comments


bottom of page