top of page

Ouro valoriza 20% em 12 meses: é hora de investir no metal?

Veja a recomendação de especialistas sobre o metal para períodos de inflação alta e conflitos internacionais


Investimento em ouro possui diversas vantagens e riscos, por isso vale a pena analisar antes de incluí-lo em sua carteira – (Foto: Getty Images)



Nos últimos 12 meses, o mercado tem visto um metal nobre valorizar 20%. Estamos falando do ouro. E aí, com essa alta bastante considerável, muitas pessoas têm questionado se é hora de aplicar parte do dinheiro no metal. Afinal de contas, o investimento em ouro vale a pena?


Mas antes de respondermos essa questão, vale entender o motivo pelo qual o metal nobre vem crescendo tanto em valor.


“A valorização do ouro é afetada por uma variedade de fatores globais que refletem tanto suas características quanto as circunstâncias econômicas e políticas que influenciam os mercados financeiros”, explica Mercia Dias, especialista em ouro e mercado de luxo.


De acordo com a profissional, como o metal é um ativo tangível com uma oferta limitada, o ouro muitas vezes se valoriza em resposta a mudanças no mercado financeiro, como a inflação, por exemplo.


“Mas também é sensível às mudanças nas políticas monetárias dos bancos centrais, instabilidade política ou crises econômicas. Por isso, o seu valor tende a aumentar quando os investidores buscam segurança em resposta à perda de confiança em moedas tradicionais ou como proteção contra a desvalorização monetária”, pontua.


Taxas de juros e guerras


Ao trazer para o momento atual, a valorização do ouro tem relação com a expectativa de cortes nas taxas de juros nos EUA, somado a guerras regionais como a da Ucrania com a Russia e a de Israel com o Hamas, e também para aumentar reservas para futuras crises. “E isso tudo aumenta a atratividade do ouro em relação ao dólar e outros ativos. Afinal de contas, o metal é tido como mais seguro e estável. O que leva os investidores a buscar refúgio em tempos de incerteza”, esclarece Daniel Sabino – CRO do Grupo NanoCapital.


Investimento em ouro pode trazer segurança

Além disso, a aplicação de parte do seu patrimônio nesse metal é uma forma de você proteger e fazer poupança em um ativo de menor risco. E ainda diversificar seus investimentos. “Então, se o investidor tem ações em sua carteira, por exemplo, e coloca um pouco de investimento em ouro, acaba por diminuir o risco com essa estratégia, porque são ativos que andam descorelacionados”, argumenta William Castro Alves, estrategista-chefe da Avenue e colunista da Inteligência Financeira.



Benefícios do investimento em ouro

Então, a segurança e a diversificação podem ser vistas, claro, como vantagens de aplicar no metal nobre. Mas existem outros benefícios do investimento em ouro. Veja só!

Proteção contra inflação

“Isso ocorre porque, à medida que a inflação aumenta os preços, o poder de compra do dinheiro diminui. No entanto, o ouro, que é um ativo físico – o que torna sua oferta limitada – pode aumentar de valor durante a inflação, protegendo assim o poder de compra do seu dinheiro”, explica Daniel Sabino.

Para se ter uma ideia, o ouro ganhou uma reputação impressionante como hedge contra a inflação na década de 1970. Época em que a inflação média anual nos EUA subiu para cerca de 8,8% de 1973 a 1979. “Durante esses seis anos, o ouro gerou um retorno anual impressionante de 35%”, comenta o especialista.

Bom investimento para momentos de incertezas

Além disso, o investimento em ouro tem um histórico comprovado de servir como uma proteção contra as consequências econômicas de conflitos internacionais, como guerras.

“Durante períodos de conflito, as incertezas econômicas e políticas tendem a aumentar significativamente. O que leva os investidores a buscar ativos considerados seguros. E é ai que o ouro entra. Além de todo esses beneficios, esse rico metal tem aceitação universal, que é uma otima resposta em tempos de incerteza econômica e conflitos”, afirma Mercia Dias.

Liquidez

Essa é outra característica relevante do ouro. Afinal de contas, em suas formas negociáveis, como barras, moedas ou ETFs, o metal nobre pode ser rapidamente convertido em dinheiro em qualquer parte do mundo. “Sua aceitação global e facilidade de liquidez fazem dele um recurso valioso durante períodos de crise financeira, por exemplo”, diz a especialista em ouro.

Riscos de investir em ouro

No entanto, investir em ouro também tem desvantagens. Por isso, apesar de ser considerado um ativo seguro, o preço do metal pode ser bastante volátil devido a mudanças no sentimento do mercado.

Outro risco é a falta de geração de renda passiva. “Isso porque o ouro não gera rendimentos com juros ou dividendos. Então, o que acontece com o metal é que você ganha com a valorização dele”, argumenta Carlos Castro, planejador financeiro CFP pela Planejar.

É hora de investir em ouro?

Agora que você já está por dentro dos pontos positivos e negativos de ter o metal nobre em sua carteira de investimentos, saiba que a decisão de aplicar parte do seu dinheiro em ouro depende de vários fatores. O que inclui seus objetivos de investimento e sua tolerância ao risco.

“O ouro é frequentemente visto como uma proteção contra a inflação e uma forma de diversificar o portfólio. No entanto, é importante lembrar que, como qualquer investimento, o ouro também tem riscos como os já mencionados”, analisa Sabino.

Além disso, a escolha ou não de colocar investimento em ouro na sua carteira deve ter como base um estudo que analise o ambiente econômico e as suas expectativas. “Afinal de contas, é preciso estar de olho no mercado, uma vez que esse metal já pode ter sofrido aumentos significativos de preço, principalmente em resposta a esses fatores”, pontua Mercia.

Então, investir em ouro vale a pena?

Investir em ouro pode valer a pena para aqueles que buscam diversificar seus investimentos e proteger seu patrimônio contra a inflação e a incerteza econômica. No entanto, é crucial fazer uma pesquisa adequada e considerar seus objetivos de investimento antes de tomar uma decisão.

Por outro lado, o investimento em ouro não é recomendado no curto prazo. “Isso porque existe grande volatilidade . Então, hoje o ouro pode estar valorizado, mas amanhã não. Por isso, é importante montar uma estratégia, que claro, seja a longo prazo”, ensina Carlos Castro.

Como investir em ouro

Portanto, foco em períodos maiores, certo? Com isso em mente, vale saber que existem diversas formas de ter o metal em sua carteira. Veja só!


Ouro físico

E a primeira opção é o investimento em ouro físico, que inclui a compra de barras, moedas e joias.

“As barras de ouro são talvez a forma mais comum de investimento direto e estão disponíveis em diversos tamanhos, desde uma grama até um quilo ou mais. Moedas de ouro, como os American Eagles, os Canadian Maple Leafs ou os Krugerrands sul-africanos, também são populares. São frequentemente adquiridas por colecionadores e investidores. Entretanto, fica o alerta: é crucial considerar a pureza do ouro, bem como os custos adicionais de segurança de armazenamento e seguro contra roubo”, diz Mercia Dias.


Exchange-Traded Fund (ETFs) de ouro


Outra forma mais prática é  investir através de fundos negociados em bolsa (ETFs) de ouro ou fundos mútuos que se concentram em ouro.

“Estes fundos possuem ouro físico armazenado em cofres e permitem aos investidores comprar participações nesses fundos sem a necessidade de lidar com o ouro físico. Essa opção permite eliminar a necessidade de armazenamento e segurança pessoal e oferece alta liquidez. Afinal de contas, as ações dos ETFs são negociadas em bolsas de valores como ações de empresas”, explica a especialista em ouro.


Ações de empresas de mineração de ouro


Ao comprar esses papeis, o investidor se beneficia indiretamente das flutuações do preço do ouro. No entanto, este tipo de investimento também está exposto a riscos associados às operações específicas da empresa, como gestão, custos de produção e estabilidade política nos países onde as minas estão localizadas.


Certificados e contas de ouro

Nesse caso, os certificados permitem que os investidores possuam ouro sem recebê-lo fisicamente. “Por outro lado, as contas de ouro funcionam como uma conta bancária, em que o metal pode ser comprado ou vendido de forma até rápida, pelo preço de mercado”, afirma Mercia.

Como investir em ouro na bolsa e em outros bancos

Na B3 , é possível sim realizar investimento em ouro. Como vimos, isto é feito por meio dos ETFs ou ações de empresas de mineração. Já o metal físico não é mais negociado na bolsa de valores brasileira.

De acordo com a B3, o fim das negociações se deu porque atualmente existem outros produtos financeiros atrelados ao ouro, como BDRs de ETFs e ETFs. “Esses ativos são mais atrativos para o investidor, pois apresentam maior liquidez e facilidade operacional”, informa a instituição.


Como investir em ouro no Nubank


A Inteligência Financeira entrou em contato com alguns bancos para entender como funciona o processo de investimento em ouro. Segundo o Nubank, atualmente, a instituição não realiza esse tipo de aplicação financeira.


Como investir em ouro no Itaú Unibanco


De acordo com informações da instituição, é possível investir em ações de empresas envolvidas na mineração e refinamento de ouro ou a aquisição de cotas de ETF , conhecidos como fundos de índice. Mas também por meio de BDRs ou BDRs de ETFs.

Veja aqui os produtos de investimento em ouro disponíveis pela Itaú Corretora e pelo app íon:

  • Abrdn Physical Gold Shares ETF (ABGD39);

  • Ishares Gold Trust Bdr (BIAU39);

  • VANECK VECTORS GOLD MINERS ETF (GDXB39);

  • Aura Minerals Inc (AURA33);

  • Trend ETF LBMA Ouro FI de Indice Invest (GOLD11).

Para acessar os produtos, o cliente deve acessar a plataforma da Itaú Corretora ou do íon, clicar em “Investir” e, posteriormente, seguir o passo:

  • Para os BDRs e BDRs de ETFs, acesse pelo íon clicando diretamente na seção BDRs;

  • Já para os ETFs, acesse-os na seção “Fundos imobiliários, ETF’s, FIDCs e outros”.


Como investir em ouro no Banco do Brasil


A instituição afirma que a aplicação financeira com foco no metal nobre pode ser feita por meio do fundo BB Multimercado Ouro. “O produto busca acompanhar a valorização da commodity e ainda conta com proteção cambial. A aplicação inicial é a partir de R$ 0,01”, comenta.

Para investir, então, basta ser correntista do BB, responder à Análise do Perfil do Investidor (API) e, na aba “Fundos de Investimento”, escolher o BB Multimercado Ouro. E as aplicações e resgates podem ser feitas tanto pelo app BB quanto pelo app Investimentos BB.


Como investir em ouro no Bradesco


Segundo o banco, existem duas opções de investimento em ouro. Pelo próprio Bradesco, com fundos de investimento. Ou pela Ágora Investimentos, que também possui fundos, mas também ETF e COE.


Abaixo você confere um passo a passo para investir em ouro no Bradesco:


Fundos: pelo Internet Banking Bradesco, acesse investimentos > investir > Conheça nosso portfólio completo > Fundos de Investimento. Já pelo App Bradesco, acesse investimentos > investir > Fundos de Investimento.


“O cliente visualizará os fundos disponíveis na prateleira. Basta pesquisar a palavra “ouro” no campo de busca, para investir no produto que desejar. Em seguida, clicar em “Aplicar” para iniciar a jornada de investimento”, ensina o banco.


Já pela Ágora, o passo a passo é o seguinte:


Fundos: pelo site Ágora, clique em “Investir” no menu superior e depois em “Fundos de Investimento”. Já no app, clique em “Para você Investir” > “Fundos de Investimento”.


Segundo a instituição, o cliente visualizará os fundos disponíveis na prateleira. Basta pesquisar a palavra “ouro” no campo de busca, para investir no produto que desejar, clicar em “Aplicar” para iniciar a jornada de investimento.


Ativos negociados em Bolsa (ex.: ETF – GOLD11): pelo site Ágora, clique em “Home Broker”, no menu superior da página. No app, clique em “Home Broker”, no menu inferior da página.


“Para registrar a operação, clique no botão de compra ou venda localizados no canto superior do Home Broker, destacado pela cor Azul ou Amarela, respectivamente. É só inserir os dados da ordem, verificar se todas as informações estão corretas e finalizar com a assinatura eletrônica”, afirma o Bradesco.


COE Ouro: nesse caso, é preciso falar com um assessor de investimentos da instituição. “Caso não existam produtos disponíveis no momento, há também a possibilidade de criação de uma estrutura exclusiva atrelada à esta estratégia”, esclarece.



0 comentário

Comments


bottom of page