MPMG denuncia Vale e três diretores por crime ambiental



O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) denunciou nesta quinta-feira (10) a Vale e três de seus diretores por crime ambiental decorrente das atividades da usina de pelotização da Fazenda Rio de Peixe, no Complexo Vargem Grande, em Nova Lima (MG). Segundo o órgão, a poluição gerada pelas atividades no local causou danos à saúde da população e destruiu a fauna e a flora da região.

A denúncia afirma que, entre 2011 e 2015, houve emissão irregular de partículas e óxidos de nitrogênio, "atingindo especialmente a região do condomínio Solar da Lagoa, que fica em frente à usina, e prejudicando a saúde dos moradores. Também houve lançamento irregular de efluentes líquidos sanitários no solo, entre 2011 e 2014, além de poluição sonora acima do aceitável para o horário noturno em área rural", destaca o texto da acusação.

O MPMG destaca que, por omissão de seus administradores e diretores responsáveis, ora denunciados, a mineradora "deixou de adotar medidas de precaução exigidas pela autoridade competente, expondo o meio ambiente a risco grave e irreversível".

O Ministério Público disse também que a Vale e os seus diretores foram denunciados por infringirem a Lei de Crimes Ambientais (Lei 9065/98).

Procurada pelo Notícias de Mineração Brasil (NMB), a Vale informou que ainda não foi "formalmente citada" em relação ao eventual recebimento da denúncia. "A empresa reforça o seu compromisso com a sociedade e com o meio ambiente", disse a mineradora.


Fonte: Notícias de Mineração do Brasil

0 comentário