Moradores de Moeda e região são a favor de projetos de mineração

São milhares de empregos gerados pelo setor de mineração; em pesquisa da FIEMG, população reconhece a importância e endossa presença do setor de mineração


A importância da mineração para o desenvolvimento socioeconômico foi uma das principais constatações de uma pesquisa realizada com as populações dos municípios de Moeda e Itabirito, em maio deste ano, pela FIEMG para verificar os impactos reais da mineração e soluções para o desenvolvimento local.

A mostra confirma a percepção da população que as mineradoras, além de garantir emprego e renda, contribuem para o desenvolvimento sustentável da região. Entre 11 a 16 de maio, foram entrevistados 1.218 moradores dos dois municípios. A margem de erro para os resultados de Itabirito é de 3,4 pontos e para os de Moeda, de 4,5 pontos, sempre com intervalo de confiança de 95%.

A proposta era identificar o nível de conhecimento, a opinião e a relação das comunidades com a mineração e seus impactos na economia e no cotidiano de suas vidas. A população de ambas as cidades reconhece a importância e enxerga como positiva a presença das empresas de mineração no estado e nas próprias localidades: 9 em cada 10 pessoas consideram a atividade importante para o desenvolvimento das cidades.

Os dados mostram ainda que para 80% dos moradores das duas cidades a mineração proporciona mais benefícios do que prejuízos à região. A população também mostrou conhecimento acerca do papel do setor para a geração de empregos e de renda para as cidades. Tanto que para os entrevistados, emprego é a palavra mais associada, seguida de desenvolvimento econômico, à mineração e, com relação a um eventual encerramento de algum projeto da região, apenas 13% acreditam que as cidades têm capacidade de absorver a mão de obra da mineração.

O desemprego no Brasil caiu para 13,2% no trimestre terminado em agosto, contra 14,4% no mesmo período de 2020, segundo dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), feita pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Apesar de sinalizar uma recuperação gradual pós-pandemia, 13,7 milhões de pessoas continuam desempregadas e buscando uma colocação. E mais: o rendimento médio real caiu e hoje 25,4 milhões são trabalhadores autônomos, um recorde histórico. Só em Minas Gerais, são 13 a cada 100 mineiros sem emprego.

Diante dos desafios, a indústria da mineração é parte determinante neste processo de recuperação econômica e social no estado e no país todo. Além disso, pode contribuir com projetos cada vez mais pautados no desenvolvimento social, na preservação ambiental e nas melhores práticas de gestão e governança. Ou seja, focados na sustentabilidade por várias óticas: meio ambiente, pessoas, e negócios em si.

A contabilidade dos aportes da atividade minerária é fácil de se fazer. Em todo o Estado de Minas Gerais, o setor de mineração gera centenas de milhares de empregos, respondendo por 8% do PIB mineiro.


Fonte : Estado de Minas,https://www.em.com.br/

0 comentário