top of page

Mineradoras da Bahia investem na capacitação de comunidades

Empresas levam educação, profissionalização e empreendedorismo para comunidades próximas às suas operações.


Para ter acesso ao mercado de trabalho, a formação educacional e a qualificação profissional são indispensáveis. O “Mapa do Trabalho Industrial 2022-2025”, produzido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que o Brasil precisa qualificar 9,6 milhões de pessoas até 2025, para atender as necessidades estimadas pelas empresas, repondo inativos, atualizando mão de obra ou para ocupar novas vagas.


Atento a essa realidade, e também com o intuito de diversificar economicamente as comunidades, empresas como a Ferbasa, Yamana Gold, Atlantic Nickel e a Mineração Caraíba têm investido em projetos para promover educação, profissionalização e o empreendedorismo nas comunidades baianas onde atuam.


A Ferbasa (Companhia de Ferro Ligas da Bahia), que opera há 61 anos, mantém projetos educacionais para crianças e adolescentes, com programas integrados ao esporte, à arte e à cultura, além do desenvolvimento rural e comunitário. A mineradora tem unidades em várias cidades do interior baiano, entre elas Campo Formoso, Euclides da Cunha, Rafael Jambeiro e Tucano.


“A Ferbasa e o seu fundador, José Corgosinho de Carvalho Filho, mostraram ao país que é possível crescer e, simultaneamente, favorecer quem precisa, principalmente numa área tão importante que é a educação. Quando observamos o crescimento da mineração baiana, além das questões econômicas e das arrecadações de impostos, consideramos também o que é feito pelas comunidades. O desenvolvimento que a mineração gera inclui a vida das pessoas e não apenas das que trabalham diretamente nas empresas. Nesse sentido, os investimentos em projetos relacionados à educação, à qualificação profissional, à cultura, entre outros, são fundamentais para o presente e para o futuro de muitos baianos”, diz Antonio Carlos Tramm, presidente da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM).


Qualificar para realizar


A mineradora Yamana Gold, produtora de ouro, também leva capacitação profissional para comunidades da cidade de Jacobina. Desde 2017, a empresa investe no projeto “Qualificar para Realizar”, que já beneficiou centenas de pessoas com cursos profissionalizantes em áreas como administração, produção, almoxarifado e logística.


O programa chega a 6ª edição e mais 37 moradores de diferentes localidades estão sendo beneficiados com cursos de técnico em mineração e técnico em eletromecânica. Para oferecer essa formação técnica gratuita e com certificação reconhecida pelo Ministério da Educação, a empresa mantém uma parceria com o Centro de Especialização Técnica (CETEC).


“É muito gratificante participar deste projeto, vendo a dedicação e o empenho dos estudantes. Integralmente estamos buscando o seu desenvolvimento profissional. Está sendo uma experiência única e transformadora. De fato, uma troca de conhecimento, pois estou ensinando, mas também aprendendo o tempo todo”, diz o professor Ednilson Júnior.


Segundo a empresa, os cursos são ofertados mediante a realidade de cada comunidade, considerando o mercado de trabalho, e as lideranças comunitárias têm participação direta na escolha das áreas de formação.


“O objetivo é preparar as pessoas para o trabalho qualificado em qualquer segmento, não apenas na mineração. O programa também nos dá a oportunidade de trazer novos profissionais para o time da Yamana, mas o nosso compromisso vai além, pois temos responsabilidade com o desenvolvimento de toda a região na qual a empresa está inserida”, afirma o gerente-geral Edvaldo Amaral.


Capacitação empresarial


Em parceria com Instituto Edvaldo Lodi (IEL), a Atlantic Nickel – que produz níquel sulfetado –, criou o programa “Alcançar” para promover cursos de capacitação para empresas e fornecedores das cidades de Itagibá, da Barra do Rocha, Jequié, Ubatã e Ilhéus.


No primeiro semestre de 2022, 47 empresas participaram do programa que, entre outros temas, aborda Gestão Financeira, Gestão de Pessoas, Gestão Comercial, Gestão Estratégica e Gestão Ambiental.


A experiência com as empresas baianas gerou um ótimo aproveitamento e, com isso, o fundo de investimentos Appian Capital Brazil, responsável pela operação da Atlantic Nickel, decidiu expandir o programa para a Mineração Vale Verde (MVV), que produz concentrado de cobre, em Alagoas. No estado alagoano foram selecionadas 50 empresas das cidades de Arapiraca e Craíbas.


“Com o programa Alcançar, muito além de gerar empregos, seguimos com a nossa missão de transformar as comunidades que nos recebem. Elas têm a oportunidade de desenvolvimento socioeconômico, pois estamos investindo na formação empresarial dos nossos fornecedores, a fim de que eles possam atingir melhores resultados e prestar um atendimento de excelência, se tornando aptos a atender qualquer empresa do país. Avaliamos que só é possível crescermos juntos, por meio de uma mineração inteligente e totalmente alinhada com comunidades do nosso entorno”, destaca Silvio Lima, diretor de Assuntos Corporativos, Pessoas e SSMA do Appian Capital Brazil.


De olho no futuro


A Ero Brasil Caraíba (Mineração Caraíba), que produz cobre nas cidades de Juazeiro, Curaçá e Jaguarari, no Norte da Bahia, mantém vários projetos que beneficiam moradores da região, alguns deles são voltados para atividades educacionais, o empreendedorismo, a geração de renda e a profissionalização.


Uma dessas iniciativas é o Curso JEPP – Jovens Empreendedores Primeiros Passos, realizado em parceria com o SEBRAE/BA e que promove a educação empreendedora, cidadania, ética e sustentabilidade para alunos do Ensino Fundamental I e II, de escolas municipais. O conteúdo é transmitido pelos próprios professores que participam de atividades de capacitação sobre fundamentos da educação empreendedora e referidas metodologias.


Outra ação da Ero Brasil Caraíba mais voltada ao mercado de trabalho é o Programa Jovem Aprendiz, criado em parceria com o SENAI desde 2009, sendo direcionado a jovens de 18 a 22 anos, que estudaram em escolas da rede pública, nas áreas próximas às unidades da empresa.


A mineradora também tem parceria com Associação de Estudantes de Pilar (AEP), de Jaguarari, e concede apoio para custear serviços de transporte para estudantes que precisam ir para as cidades de Juazeiro (BA) e Petrolina (PE) para frequentar cursos em instituições de nível técnico e superior.



Fonte : Companhia Baiana de Pesquisa Mineral, CBPM.

0 comentário

Comentarios


bottom of page