Mineradora evacua área de dique que transbordou em Nova Lima (MG)

Segundo a Defesa Civil estadual, seis pessoas foram removidas pela empresa; Vallourec agora trabalha na remoção de 400 animais de criadouros da região


A mineradora Vallourec informou na tarde deste domingo (9) que já removeu todas as pessoas que vivem em áreas que poderiam vir a ser inundadas no caso de um eventual rompimento do Dique Lisa, que pertence à Mina Pau Branco, que apresentou um transbordamento no último sábado (8) que levou ao fechamento da BR-040, em Nova Lima, na Grande BH.


Após o incidente, a mineradora elevou ao nível máximo de emergência o Dique Lisa, medida que exige a implementação do Plano de Ação de Emergência para Barragens de Mineração (PAEBM) em uma condição mais rigorosa, inclusive, com a evacuação das áreas da mancha de inundação.

No entanto, segundo a mineradora, antes mesmo da elevação do nível de emergência do dique, as pessoas que poderiam ser atingidas já haviam sido removidas. “No nível três há necessidade de evacuação e as poucas pessoas residentes em áreas dentro da mancha de inundação já foram removidas - medida já implementada antes mesmo da mudança de classificação do nível”, informou.


Procurada, a Defesa Civil de Minas Gerais confirmou a informação e disse que “quem poderia vir a ser afetado já foi previamente evacuado do local (seis pessoas)”. Informou também que elas foram acolhidas pela empresa Vallourec e acompanhadas pela Defesa Civil Municipal de Nova Lima.

Agora, segundo a mineradora, está sendo providenciada a remoção de aproximadamente 400 animais. “O mesmo cuidado está sendo tomado em relação aos animais. A Vallourec, junto com especialistas em fauna silvestre, está providenciando a remoção de mais de 400 animais silvestres para criadouros e viveiros credenciados por órgãos ambientais”, informou.


Apesar da elevação do nível de emergência para 3, considerado o nível máximo, a Vallourec informou que a estrutura do dique permanece estável. “A Empresa esclarece que a estrutura do dique, que tem como função o controle da vazão da água pluvial, permanece estável, reiterando que não há registros de vítimas fatais da referida ocorrência”, informou.

Além disso, segundo a mineradora, “o dique em questão, localizado em Nova Lima, operava normalmente, em nível zero de criticidade e dentro dos parâmetros previstos na legislação vigente”.


Decisão judicial


Na madrugada deste domingo, uma decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) determinou que a mineradora Vallourec adote uma série de medidas preventivas e reparadoras no sentido de garantir a segurança das pessoas e do meio ambiente por eventuais problemas estruturais na Mina Pau Branco, sob pena de multa diária de R$ 1 milhão.

Além disso, a decisão - que atende a um pedido do Ministério Público e da Advocacia Geral do Estado (AGE) - determina que a empresa "suspenda toda e qualquer atividade de disposição de material de qualquer natureza, incluindo estéril e rejeitos" "na Pilha Cachoeirinha, situada na Mina Pau Branco, e apresente, em um prazo de 48 horas, "um plano de ações e cronograma, por equipe técnica especializada.


A mineradora informou que ainda não foi notificada da decisão.


Fonte: site www.otempo.com.br/


0 comentário