Mineração da Bahia receberá R$ 70 bilhões em investimentos até 2025

A mineração baiana deve receber R$ 70 bilhões dos R$ 200 bilhões previstos em investimentos na atividade mineral em todo país até 2025, o que representa um 35% do valor total. Os valores serão aplicados em cerca de 28 municípios da Bahia, que tem apresentado crescimento significativo na produção de minerais.


Segundo dados da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), nos três primeiros meses de 2021, o faturamento baiano com a mineração foi de R$ 10,5 bilhões, contra R$ 5,8 bilhões registrados no mesmo período do ano passado, o que representa um aumento de 94% na receita.

O presidente da companhia, Antonio Carlos Tramm, afirma que a valorização do produtor mineral, em especial do minério de ferro, e a desvalorização do real são alguns dos fatores responsáveis pelo incremento no faturamento das mineradoras. "Este aumento no volume de investimentos confirma que a mineração irá ocupar, cada vez mais, uma posição de destaque no desenvolvimento econômico da Bahia, na geração de empregos e de tributos", declarou.

Ao todo, de acordo com o Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), 92 projetos que integram o portfólio das mineradoras do país para receber os investimentos estão situados na área de influência regional de mais de 81 municípios, em vários estados, e vão contribuir para movimentar a economia a médio e longo prazo, com promoção a negócios em extensas cadeias produtivas, geração de empregos e aumento da arrecadação tributária, entre outros benefícios socioeconômicos, como a geração de mais renda.

O Instituto ressalta que, no 1º trimestre do ano, a indústria da mineração pagou quase 102% a mais em tributos totais do que no 1º trimestre de 2020: R$ 24 bilhões contra R$ 12 bilhões. O saldo de empregos do setor também foi positivo neste trimestre, com 11 mil novos postos diretos. As vagas diretas abertas nas mineradoras, segundo o Ibram, geram empregos indiretos da ordem de 1 para 11 ao longo das cadeias produtivas.

O diretor-presidente do órgão, Flávio Penido, destaca que a mineração passa por um ciclo crescente, o que torna o momento ideal para criação de melhores condições que permitam que a atividade legalizada possa se expandir.


"Quando a mineração está em um ciclo positivo, ela assegura insumos e impulsiona negócios para milhares de empresas de todos os portes e de praticamente todos os segmentos, o que é extremamente positivo para a economia nacional. Os dados que divulgamos mostram que a sociedade deve enxergar a mineração como uma parceira para o desenvolvimento socioeconômico perene do país", declarou.


Fonte: Notícias de Mineração do Brasil

0 comentário