Minério de ferro sobe na China com alívio de restrições da Covid

O minério de ferro mais negociado para setembro na bolsa de commodities de Dalian fechou em alta de 4%, a US$ 115,92 a tonelada.




Os contratos futuros de minério de ferro atingiram máximas de uma semana nas bolsas de Dalian e Cingapura nesta segunda-feira (27/06), apoiados por esperanças de que as siderúrgicas chinesas reiniciem dezenas de altos-fornos que haviam ficado ociosos devido à queda nas margens e à fraca demanda para reabastecer estoques.


A flexibilização das restrições da Covid-19 em Xangai e a suspensão ou relaxamento de mandatos de testagem em várias cidades chinesas também impulsionaram os mercados, que haviam sido afetados nas últimas duas semanas em meio a preocupações com a fraca demanda na maior produtora de aço do mundo.


O minério de ferro mais negociado para setembro na bolsa de commodities de Dalian fechou em alta de 4%, a 775 yuans (115,92 dólares) a tonelada, depois de atingir mais cedo 782,50 yuans, seu maior nível desde 20 de junho.


Na Bolsa de Cingapura, o contrato de julho do ingrediente siderúrgico subiu 5,7%, para US$ 120,60 a tonelada, seu maior valor desde 20 de junho. No porto de Qingdao, o minério de ferro fechou cotado US$ 120,25, alta de 4,17%.


O minério de ferro caiu 22% em Dalian após um sell-off recorde de 10 sessões até 23 de junho, enquanto o contrato em Cingapura registrou o fechamento mais fraco deste ano na quinta-feira passada, a US$ 108,14 a tonelada, arrastado pela desaceleração da produção de aço na China.


O pânico do mercado visto na semana passada diminuiu, disseram analistas da Sinosteel Futures em nota. A expectativa é de que a produção limitada de aço ajude a reduzir os altos estoques, disseram eles, e “a redução na oferta ajudará os preços a pararem de cair”.


Mas o cenário geral para o mercado de ferrosos da China não mudou fundamentalmente, disseram analistas.


Fonte: Revistamineracao.com.br


0 comentário