Minério de ferro e seus concentrados puxam alta das exportações do Pará


O minério de ferro e seus concentrados puxaram a alta das exportações paraenses registradas nos primeiros meses de 2020. De acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, o Pará registrou, entre janeiro e maio deste ano, um aumento de 18,7% no volume de exportações de uma série de produtos em comparação com o mesmo período do ano passado. O valor total já ultrapassa os US$ 6 bilhões e garante ao Estado o quinto lugar no ranking das exportações do país. A Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (Codec) destaca que o líder do ranking de exportações nos primeiros meses de 2020 são minério de ferro e seus concentrados, que correspondem a 59% do total, chegando a US$ 4 bilhões de dólares. Em seguida aparecem minério de cobre e seus concentrados, uma fatia de 11% do total e um faturamento de US$ 735 milhões. A alumina teve 9,6% de participação e rendeu US$ 647 milhões. Dentre os mais exportados, completam a lista soja (4,5%) - US$ 306 milhões; além de carne bovina fresca, refrigerada ou congelada (2,5%) - US$ 166 milhões; entre outros. O total exportado no período, conforme o órgão, chega a US$ 6,8 bilhões. Além da China, destino de 46% desses produtos, estão entre os principais parceiros comerciais do Pará Malásia, Noruega, Japão, Alemanha, Países baixos, Canadá, Estados Unidos e Coreia do Sul. De acordo com o presidente da Codec, Lutfala Bitar, órgão que desenvolve e apoia políticas estaduais de fomento ao comércio exterior, o aumento das exportações paraenses é um sinal de que o estado "segue forte economicamente", diferente de outros Estados da federação, e que vai passar pelo atual cenário recessivo causado pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) sem grandes impactos na indústria extrativa. "Observamos esses dados com atenção e percebemos que nosso esforço pelo fortalecimento da nossa economia tem sido relevante para as trocas comerciais do Pará com outros países. No ano passado, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado, organizamos diversos seminários de negócios, aproximando empresários paraenses e estrangeiros, principalmente da Ásia, para intensificar as trocas comerciais entre eles. Nosso esforço tem sido no sentido não apenas de intensificar as exportações, mas de diversificá-las, pois esta é uma necessidade cada vez maior", afirma o executivo. A Codec informou ainda que o aumento das exportações garante "a manutenção de empregos no setor industrial, a sinalização de que a indústria paraense segue com uma demanda elevada, na contramão dos demais setores da economia, e a garantia da geração de divisas - principalmente em dólar que, em meio à atual valorização, contribui para o incremento no preço dos produtos paraenses no mercado internacional", destaca o órgão em nota.


Fonte:Notícias de Mineração do Brasil

SINDIMINA - Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Extração, Pesquisa e Benefício de Ferro, Metais Básicos e Preciosos de Serrinha e Região

Rua Macário Ferreira, nº 522 - Centro - Serrinha-BA     / Telefone: 75 3261 2415 /  sindimina@gmail.com

Funcionamento :  segunda a sexta-feira, das  8h às 18h.