Minério de ferro cai 5% com política de resposta à Covid na China


O minério de ferro mais negociado para setembro na Bolsa de Commodities de Dalian na China encerrou as negociações diurnas cotado a US$ 123,47.

Os contratos futuros de minério de ferro nas bolsas de Dalian e Cingapura caíram mais de 5% no final das negociações nesta sexta-feira (06/05), com a China reforçando sua dura política de resposta à Covid-19 que atingiu a atividade econômica, levando os traders a serem mais cautelosos.

O minério de ferro mais negociado para setembro na Bolsa de Commodities de Dalian na China encerrou as negociações diurnas em queda de 5,1%, a 825 yuans (US$ 123,47) a tonelada, após um avanço de quatro sessões.

Na Bolsa de Cingapura, o contrato de junho mais ativo do ingrediente siderúrgico caiu 5,4%, para US$ 137,45 a tonelada, encaminhando-se para a quinta perda semanal.

A China combaterá quaisquer comentários e ações que distorçam, duvidem ou neguem a política de resposta à Covid-19 do país, informou a televisão estatal na quinta-feira, após uma reunião do mais alto órgão decisório do país.

Traders estavam esperançosos de que o apoio político da China à sua economia em desaceleração pudesse continuar a reforçar a confiança do mercado.

O Banco Central da China prometeu tomar medidas de política monetária para ajudar as empresas atingidas pelos surtos de coronavírus, enquanto Pequim prometeu intensificar o apoio às políticas.


O minério de ferro spot com teor de 62% com destino à China, maior produtora de aço do mundo, atingiu US$ 138,50 a tonelada nesta sexta-feira, um recuo de US$ 6 ante o fechamento de quinta-feira, segundo dados da consultoria SteelHome.


O vergalhão de aço para construção, a bobina laminada a quente e o aço inoxidável na Bolsa de Futuros de Xangai caíram 3,7% cada.


O carvão de coque de Dalian perdeu 3% e o coque retraiu 2,7%.


Fonte : Reuters/ Revista Mineração



0 comentário