MG cria plano para impulsionar setor mineral até 2024

O governo de Minas Gerais definiu quatro etapas para a implantação de um Plano Estadual de Mineração (PEM) até 2024: diagnóstico do setor da mineração em Minas Gerais; ações estratégicas; desafios para a indústria extrativa mineral; e cenários e condicionantes futuros. Segundo o executivo, o objetivo do plano é orientar a formulação de políticas públicas de médio e longo prazos, “tornando o setor mineral do Estado mais competitivo, produtivo e sustentável.


Conforme a apresentação, o PEM-MG está em sua primeira etapa, que traz um panorama sobre o setor mineral no Estado. O governo já realizou o diagnóstico e está com estudos em andamento para descrição e integração das cadeias produtivas. "[O PEM busca] servir de instrumento de planejamento para a boa gestão, agregação de valor e uso sustentável dos recursos minerais a fim de estimular a competitividade nos diversos segmentos do setor mineral; promover ações interinstitucionais e projetos estruturantes que têm na mineração sua plataforma e que estejam em consonância com as novas regulamentações pretendidas no âmbito federal; e contribuir para que o setor mineral continue a desempenhar um papel importante para o desenvolvimento econômico e industrial do Estado de Minas Gerais", declaram as diretrizes do PEM. O documento destaca o ferro como a substância metálica mais encontrada em Minas Gerais. A reserva mineira de minério de ferro contém 23,3 bilhões de toneladas, o que representa uma porcentagem de 81,6% do que o Brasil possui (28,6 bilhões de toneladas) e 13,7% do que o mundo possui (170 bilhões de toneladas). O distrito ferrífero de Nova Aurora apresenta teores de 20% a 35% Fe; a borda leste do Espinhaço de 30% a 45% Fe; e o quadrilátero ferrífero de 30% a 60% Fe. Outro destaque foi o nióbio, que possui 80% de sua produção mundial no estado. A principal mina mineira é a mina Barreiro, em Araxá, que concentra 80% da produção mundial e é comandada pela Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM). A apresentação mostra também que Minas detém 80% dos recursos e reservas nacionais de grafita. Com números de 2018, o documento destaca que Minas Gerais foi o maior produtor metálico nacional, com R$ 42 bilhões, com destaque para ferro (R$ 36,5 bilhões) e ouro (R$ 4,65 bilhões). Minas Gerais faturou ainda R$ 3,7 bilhões com os minerais não metálicos em 2018. O PEM foi apresentado pelo governo de Minas Gerais no dia 10 de julho e contou com a participação de integrantes da Superintendência de Política Minerária, Energética e Logística (SPMEL); da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Sede), bem como executivos de mineradoras e dirigentes e gestores do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram).

Fonte: notícias de Mineração do brasil


SINDIMINA - Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Extração, Pesquisa e Benefício de Ferro, Metais Básicos e Preciosos de Serrinha e Região

Rua Macário Ferreira, nº 522 - Centro - Serrinha-BA     / Telefone: 75 3261 2415 /  sindimina@gmail.com

Funcionamento :  segunda a sexta-feira, das  8h às 18h.