Mapa Tectônico da América do Sul


O presidente do Serviço Geológico do Brasil (SGB-CPRM), Esteves Colnago, informou que os trabalhos de harmonização do Mapa Tectônico da América do Sul, na escala 1:5 milhões, estão concluídos e o material está disponível no Portal OneGeology. O anúncio ocorreu durante o encontro anual do Comitê de Direção Estratégica OneGeology - uma Iniciativa Internacional que torna os Serviços Geológicos do mundo provedores de dados em ambiente web. O evento aconteceu em março, com a participação de presidentes dos mais destacados serviços geológicos do mundo, onde a CPRM foi representada também pela chefe de Assuntos Internacionais, Maria Glícia da Nóbrega Coutinho. Colnago enfatizou que o governo do Brasil tem expectativas de que o mapa torne mais atrativos os investimentos no Setor Mineral na América do Sul. “Trata-se de uma importante região mineira. Detentora de importantes recursos minerais, inclusive em materiais indispensáveis para o suprimento da indústria 5G”, afirmou.

O Mapa Tectônico da América do Sul, iniciado em 2004, representa uma atualização dos recentes mapeamentos geológicos e dos novos dados geocronológicos. A construção do material foi possível graças ao suporte técnico e financeiro recebido da CPRM e do Serviço Geológico Mineiro Argentino (SEGEMAR). A CPRM disponibilizou seus arquivos digitais (shapefiles), em escala 1:1 milhão do sistema GeoBank, enquanto o SEGEMAR ofereceu as bases de dados do Mapa Metalogenético da América do Sul, na escala de 1:5 milhões. Após a integração das bases GIS, o mapa seguiu as recomendações de avaliação e chancela da Commission for the Geological Map of the World (CGMW).

Os trabalhos foram coordenados pelo Professor Umberto Cordani, da Universidade de São Paulo, responsável pelo domínio da Plataforma Sul Americana; e pelo Professor Victor Ramos, da Universidade de Buenos Aires, pelo domínio dos Andes. O projeto contou ainda com a participação de pesquisadores dos diversos Serviços Geológicos da América do Sul. “A legenda unificada para esses dois domínios geotectônicos foi submetida a dezenas de discussões com a comunidade Geocientífica em seu contexto global”, disse Colnago. O mapa desenvolvido sob a égide da CGMW contou com o suporte contínuo e as orientações da CGMW, União Internacional de Ciências Geológicas (IUGS), UNESCO e Asociación de Servicios de Geología y Minería Iberoamericanos (ASGMI).

Os trabalhos de harmonização do Mapa Tectônico da América do Sul, 1:5 milhões, para GeoSCiML — um modelo para transferência de dados geológicos para ambiente web —, visando a acessibilidade no Portal OneGeology, tiveram início entre 2016 e 2017. Em função do grande volume de dados (cerca de 26 camadas), essas ações foram interrompidas, levando a CPRM a promover um upgrade no sistema. “Após maciços investimentos em TI, hoje a CPRM detém um robusto e moderno sistema que a possibilitou, além da capacitação técnica dos seus profissionais, a harmonizar o Mapa Tectônico da América do Sul e ser provedora desse conhecimento que pode, de forma democrática, ser acessado pela comunidade Geocientífica internacional”, concluiu o presidente.

O OneGeology é um projeto colaborativo internacional no campo da geologia, apoiado por 113 países, pela UNESCO, IUGS e pelos principais órgãos globais de geociências. A iniciativa visa permitir o acesso online, para todos, ao mapa geológico dinâmico do mundo.


Fonte: Brasil Mineral

0 comentário