Maiores mineradoras do mundo sinalizam cenário de oferta e demanda incerto

As maiores mineradoras do mundo sinalizam um cenário de oferta complexo em meio à maior preocupação sobre a força da demanda chinesa por minério de ferro. As perspectivas divergentes de oferta contribuem para um segundo semestre incerto.


A produção de minério de ferro da Vale ficou um pouco abaixo do esperado no trimestre passado, embora os volumes tenham crescido em relação ao período anterior.

No primeiro semestre, a Vale registrou uma produção de 75,69 milhões de toneladas de minério de ferro no segundo trimestre de 2021, somando 143,72Mt no primeiro semestre. Além do crescimento na produção, a companhia informou também que atingiu uma capacidade de produção anual de 330Mt que, caso seja mantida, permite à mineradora atingir a faixa de meta para o ano, de 315Mt a 335 Mt.

A BHP disse que poderia elevar ainda mais a produção no exercício fiscal de 2022 depois de um ano recorde, enquanto a Rio Tinto alertou para a dificuldade de atender à demanda e sinalizou que os embarques anuais podem ficar no limite inferior de sua previsão.

A BHP registrou recorde na produção de minério de ferro no ano fiscal da Austrália, encerrado em 30 de junho.

Os investidores também buscam avaliar o ritmo da demanda na China, onde os estoques portuários têm aumentado e a produção de aço caiu em junho pela primeira vez desde o fim do ano passado.


A iniciativa do governo chinês para reduzir as emissões do setor de aço pode levar o mercado global de minério de ferro a um superávit no último trimestre, e o excesso de oferta permaneceria no próximo ano, segundo estimativas do Citigroup.

O consumo de minério de ferro será impactado com a intensificação gradual dos cortes na produção de aço, o que ajudaria a frear o rali das matérias-primas, de acordo com relatório da Huatai Futures.


As informações são da Bloomberg.



0 comentário