Lucro líquido no trimestre cai 49%

Vendas de aço no mercado interno somaram 867 mil toneladas no primeiro trimestre de 2022, elevação de 9,5% em relação ao quarto trimestre de 2021.



A Usiminas registrou Ebitda ajustado de R$ 1,6 bilhão no primeiro trimestre de 2021, contra R$ 2,5 bilhões no trimestre anterior (4T21). A margem Ebitda Ajustado ficou em 19,9% no trimestre, frente à margem de 30,5% no 4T21. No primeiro trimestre deste ano, não foram registrados Efeitos Não Recorrentes, ante o registro de R$ 619 milhões no quarto trimestre de 2021.


O lucro líquido atingiu R$ 1,3 bilhão no trimestre, 49% inferior em relação ao último trimestre de 2021 (R$ 2,5 bilhões) e representa uma alta de 5% quando comparado com o primeiro trimestre de 2021 (R$ 1,2 bilhão). A Usiminas destaca as vendas de aço no mercado interno, que somaram 867 mil toneladas no primeiro trimestre de 2022, uma elevação de 9,5% quando comparadas às vendas do quarto trimestre de 2021, de 792 mil toneladas. As vendas totais de aço, de 1,13 milhão de toneladas, também cresceram 6,6%, comparadas com os três meses anteriores, quando atingiu 1,06 milhão de toneladas. Desse total, 867 mil toneladas foram destinadas ao mercado interno e 267 mil toneladas para exportação.


“Depois de um período de forte recuperação em 2021, os resultados se mantiveram positivos e entraram numa fase de estabilidade de produção e vendas adequadas à realidade no momento”, disse Sérgio leite, presidente da Usiminas. Segundo Leite, os destaques ficam para o Caixa e Equivalente de Caixa consolidado em 31 de março de 2022, que era de R$ 6,6 bilhões, inferior em 6% em comparação à posição de 31/12/21, de R$ 7,0 bilhões. Isso se deve, principalmente, ao pagamento de Imposto de Renda e Contribuição Social referentes a 2021 na Mineração Usiminas, além do efeito da desvalorização do dólar frente ao real no caixa em dólar da companhia. “Nossa posição de caixa nos permitiria pagar toda a dívida bruta da empresa e ainda teríamos um saldo da ordem de R$ 1 bilhão”, complementa Leite.


Na Agenda ESG, a Usiminas anunciou no primeiro trimestre de 2022 uma parceria para geração própria de energia renovável com a Canadian Solar. A iniciativa vai possibilitar uma produção mais sustentável, por meio da melhor utilização dos recursos naturais e da redução dos impactos ambientais e dos custos de energia. O contrato prevê a autoprodução de 30 MW médios de energia renovável, por 15 anos, a partir de 2025, o que representa cerca de 12% do volume de energia consumido pela companhia. Além disso, a Usiminas assinou a nova Carta de Sustentabilidade da worldsteel Association, se comprometendo com uma série de princípios que devem embasar suas ações e posicionamentos relacionados às questões de sustentabilidade na indústria do aço. No total, a nova carta traz nove princípios, abrangendo temas de meio ambiente, social, de governança e econômicos, entre outros. “No ano em que completamos 60 anos de operações, estamos com os olhos voltados para o futuro e mobilizados para garantir a sustentabilidade de nossas atividades. Iniciativas como a parceria com a Canadian para fornecimento de energia solar e o compromisso reafirmado com a worldsteel são passos importantes da companhia na sua jornada cada vez mais alinhada aos princípios da agenda ESG”, afirma Sergio Leite.


Entre as Unidades de Negócio, a usina de Ipatinga produziu 677 mil toneladas de aço bruto no primeiro trimestre do ano, contra 723 mil toneladas no último trimestre de 2021. A produção de laminados nas usinas de Ipatinga e Cubatão, por sua vez, totalizou 1,09 milhão de toneladas, contra 1,17 milhão de toneladas registradas no quarto trimestre de 2021. Já o Ebitda Ajustado dessa unidade de negócio alcançou R$ 1,0 bilhão, no primeiro trimestre do ano, e a margem Ebitda Ajustado ficou em 14,6%, ante, respectivamente, R$ 2,0 bilhões e 28,7% de margem no 4T21.


Na Mineração Usiminas o volume de produção alcançou 1,7 milhão de toneladas entre janeiro e março de 2022, contra 2,5 milhões de toneladas no 4T21. O menor volume de produção se deu pelo impacto do volume de chuvas na região, o que levou a uma paralisação operacional e restringiu o acesso a frentes de lavra e à planta de filtragem de rejeitos, Dry Stacking, que se encontra em fase de ramp-up. Ainda na MUSA, o volume de vendas atingiu 1,6 milhão de toneladas no trimestre, queda de 38% quando comparado ao último trimestre de 2021, igualmente afetado por paralisações na cadeia logística devido às chuvas registradas no período. Destaque para o Ebitda Ajustado, que alcançou R$ 345 milhões no trimestre, uma elevação de 34% em relação ao 4T21 (R$ 256 milhões). A margem Ebitda Ajustado ficou em 42,5% no primeiro trimestre, contra 27,6% registrado no 4T21.


Na Soluções Usiminas, empresa que atua no mercado de distribuição de aço, serviços, fabricação e venda de tubos de pequeno diâmetro, a receita líquida cresceu 7%, para R$ 2,1 bilhões, quando comparada com o trimestre anterior (4T21), de R$ 1,9 bilhão. O Ebitda Ajustado no primeiro trimestre do ano foi de R$ 67 milhões, R$ 68 milhões superior ao registrado no quarto trimestre de 2021, quando ficou negativo em R$ 1 milhão. A margem Ebitda Ajustado foi de 3,1% no primeiro trimestre, contra 0,1% negativo do trimestre anterior (4T21). Não foram registrados efeitos não recorrentes no período. O Ebitda, desconsiderando os efeitos não recorrentes no 4T21 foi de R$ 46 milhões, e margem Ebitda Ajustado de 2,3%.



Fonte: Brasil Mineral

0 comentário