Lucro da Anglo American recua 75% no 1º semestre com impactos da Covid-19


A Anglo American reportou nesta quinta-feira (30) um lucro líquido de US$ 471 milhões no primeiro semestre, queda de 75% em relação ao resultado de US$ 1,88 bilhão do ano anterior. As restrições causadas pelo coronavírus no período atingiram a produção, o que resultou em um dividendo menor, de acordo com a política de pagamento da empresa.

O lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado caiu 39% no semestre, para US$ 3,35 bilhões, mas permaneceu acima da expectativa do mercado de US$ 3 bilhões, estimativa dada pela própria companhia com base em consulta a nove analistas. Já a receita da companhia diminuiu 16%, para US$ 12,47 bilhões.

O presidente-executivo, Mark Cutifani, disse que as interrupções na produção foram parcialmente compensadas pelo forte desempenho das operações brasileiras de minério de ferro, como o complexo Minas-Rio, em Minas Gerais, e de cobre chileno da empresa.

A Anglo American declarou um dividendo intermediário de US$ 0,28 por ação no período, abaixo dos US$ 0,62 do ano anterior. Isso estava de acordo com a política da empresa, que define os pagamentos como 40% do lucro ajustado.

"À medida que a economia global se recupera, os metais do grupo da platina, cobre e minério de ferro estão todos particularmente bem posicionados, enquanto a De Beers, como principal empresa de diamantes do mundo, está tomando todas as medidas apropriadas para lidar com os efeitos de impactos profundos", disse o executivo. As informações são do Valor Econômico.

SINDIMINA - Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Extração, Pesquisa e Benefício de Ferro, Metais Básicos e Preciosos de Serrinha e Região

Rua Macário Ferreira, nº 522 - Centro - Serrinha-BA     / Telefone: 75 3261 2415 /  sindimina@gmail.com

Funcionamento :  segunda a sexta-feira, das  8h às 18h.