top of page

Líderes da mineração baiana participam do Semba 2023

Evento também contou com homenagens a grandes nomes, que tiveram um papel fundamental na história da mineração baiana.




Mais de 350 pessoas de 30 instituições participaram dos três dias do Seminário de Mineração da Bahia (Semba 2023), que foi realizado na Universidade Federal do Vale do Rio São Francisco (Univasf), em Juazeiro. No seu último dia, o evento contou com palestras significativas, dois importantes Fóruns: o de mulheres na operação e o de líderes, premiação para importantes nomes do setor, além da divulgação do próximo anfitrião do Semba.

Na parte da manhã, a discussão sobre o panorama da mineração da Bahia e as dificuldades enfrentadas pela gerência regional da Agência Nacional da Bahia (ANM) foram amplamente discutidas pela gerente regional da ANM na Bahia, Carla Ferreira. Outro destaque, foram as palestras do Sandro Magalhães como Country Manager Brasil & Argentina da Jacobina Mineração/Pan American Silver e também como presidente do Sindimiba.

Quem também marcou presença foi o professor da Univasf, Júlio Melo, que falou sobre o uso de rejeitos da mineração na agricultura; o professor Vicente Tucci Filho, da USP, que ministrou a palestra sobre segurança do trabalho intitulada de “G-MIRM a quem interessa esse Programa de Gerência de Risco”; a Raquel Marques da Sotreq, que falou sobre a agenda ESG; e o Petrucio dos Santos, representando a Maccaferri, que abordou a importância das soluções para revestimento e estabilização de taludes com sistemas de malhas.


Fóruns


Um dos momentos mais esperados do Semba, os fóruns trouxeram discussões importantes, além de ideias que podem ser aplicadas no dia a dia do setor. O primeiro fórum, sobre as mulheres na operação, contou com a participação da diretora jurídica da Pan American, Carolina Sampaio; a gerente jurídica corporativa da EroBrasil Alice Borges; e a diretora de ESG da Bamin, Rosane Santos.

As palestrantes destacaram a importância da participação feminina nas operações de mineração, porém, destacaram as dificuldades enfrentadas pelas mulheres.

“O setor ainda conta com muitas dificuldades estruturais para a inclusão da mulher na mineração”, destacou a diretora de ESG da Bamin, Rosane Santos.

A opinião também foi defendida pela diretora jurídica da Pan American, Carolina Sampaio. “A gente precisa preparar a empresa para receber o público feminino. É preciso fazer uma análise de todos os setores”, enfatizou Sampaio, que além da questão estrutural destacou a importância do cuidado que é preciso ter para que a mulher não se sinta oprimida no dia a dia da empresa.

Já a gerente a gerente jurídica corporativa da EroBrasil Alice Borges, destacou a importância de ter ambientes diversos para as corporações. “Vamos olhar pela diversidade e ver valor nas diferenças”, comentou.

Em seguida, foi realizada a palestra de líderes, que contou com a participação do diretor executivo de operações da EroBrasil Caraíba, Marcos Graciano; o diretor de mineração da Ferbasa, Eriberto Leite; o General Manager da Pan American, Edvaldo Amaral; o ESG & People Director do Grupo Appian Brazil, Diogo Oliveira.

As dificuldades enfrentadas pelas operações, implantação da cultura de diversidade e inclusão na mineração, bem como assuntos polêmicos como barragens e utilização da CFEM (Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais), foram alguns dos temas discutidos neste fórum.


Homenagens


A mineração de hoje deve muito a quem fez história na mineração baiana. Por esse motivo, nesta 5ª edição do Semba, a comissão organizadora decidiu homenagear personalidades que tiveram um papel fundamental nesta jornada. A definição dos nomes foi realizada pela própria comissão.

O primeiro a ser homenageado foi Sérgio Fráguas (in memoriam), ex-presidente da Mineração Caraíba, que iniciou um importante projeto social para atender dependentes químicos da comunidade; José Carvalho, mais conhecido como Corgosinho (in memoriam), ex-presidente da Ferbasa, fundador da Fundação José Carvalho, um dos primeiros exemplos de atuação ESG da mineração baiana; Darcy Germani (in memoriam), engenheiro de minas, teve atuação relevante nos principais projetos de minério de ferro e fosfato no Brasil.

Também foram homenageados: Rosane Santos, diretora de ESG da Bamin, a primeira mulher negra a ser diretora em uma empresa de mineração na Bahia; Fausto Soares (in memoriam), professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA), que teve um papel significativo da formação de vários profissionais de setor; e o Paulo Castelari, CEO da Atlantic Nickel, que teve um papel fundamental para a reabertura da mina em Itagibá que é a única produtora de níquel sulfetado do Brasil.


Próxima edição do Semba


O já tradicional evento da mineração baiana divulgou seu novo anfitrião para 2024. A Atlantic Nickel irá recepcionar o evento no ano que vem, que será realizado no município de Ilhéus.

Após receber a homenagem em nome de Paulo Castellari, o ESG & People Director do Grupo Appian Brazil, Diogo Oliveira fez o anúncio. “Vamos levar o evento para Ilhéus, que é uma cidade capaz de receber um evento deste porte e por também fazer parte do nosso processo produtivo, já que é pelo porto de Ilhéus que nosso concentrado de níquel sulfetado é exportado para diferentes partes do mundo, contribuindo para a transição energética global”, destacou Oliveira.

A EroBrasil Caraíba foi anfitriã e patrocinadora diamante do evento. O Semba 2023 contou com patrocínio da Pan American Silver, Atlantic Nickel, Metso, Sotreq, Tumi, Sandvik, Maccaferri, Gotemburgo, Master Drilling, Howden, Castolin Euteclic, Equinox Gold, Ferbasa, Bamin, RHI Magnesita, Suport Mining, Enaex Brasil, Brugg Geobrugg e Largo.



Fonte: Revista Mineração & Sustentabilidade

0 comentário

Comments


bottom of page