top of page

Líderes comunitários visitam as Barragens da JMC


Representantes das comunidades de Pontilhão, Jacobina IV e Cidade do Ouro visitaram, no dia 28 de dezembro, as barragens da JMC. A ação, que faz parte do Programa Portas Abertas, reforça o compromisso da empresa com a transparência de suas operações e o seu relacionamento com as comunidades, sempre baseado no diálogo. O objetivo da visita foi conhecer a barragem, seu funcionamento, as medidas de segurança realizadas para torná-la mais estável e responder dúvidas das lideranças.


Os visitantes foram recepcionados no Complexo Ambiental da JMC, para uma apresentação institucional, e em seguida levados para a área da Barragem. Durante a visita foram apresentados os processos de segurança e monitoramento da JMC, bem como, esclarecimentos sobre as operações e informações sobre a barragem de rejeitos. Os líderes também conheceram o CMG (Centro de Monitoramento Geotécnico da Barragem), um dos primeiros da Bahia, e puderam ver presencialmente todo processo de monitoramento e controles operacionais das Barragens da JMC.


O engenheiro civil Elmano Júnior recebeu o grupo no Mirante da Barragem, explicou os detalhes técnicos das operações e respondeu aos questionamentos, esclarecendo as dúvidas. Também destacou todas as ações que são empreendidas na barragem, bem como as inspeções de campo pelos técnicos e ressaltou os pontos de monitoramento existentes. O engenheiro também destacou o monitoramento dos órgãos de controle. “Recentemente, tivemos a visita de técnicos da Agência Nacional de Mineração (ANM) à barragem, realizando inspeção, observando as nossas operações”, explicou Júnior.


Representante da comunidade de Pontilhão, Evanice dos Santos Gonçalves, ficou muito contente com a visita e com as explicações sobre o processo. “A gente veio tirar dúvidas e eu concluí que é seguro, sim, mais do que a gente pensa. Este medo que a gente sente é normal, faz parte, mas vindo visitar, vê que é tudo sob controle. Então é seguro, sim”, afirmou. Já o representante da Cidade do Ouro, Hebert Nabid Santos de Azevedo, questionou sobre o método construtivo da barragem e a questão das chuvas. Satisfeito com as explicações, vai levar informações importantes para a comunidade. “Vendo de perto a gente se sente mais seguro, haja vista a segurança e a tecnologia e é isto que quero levar para minha comunidade”, disse.



Fonte: Ibram.org.br

0 comentário

Comments


bottom of page