Horizonte finaliza preparativos para construir projeto de níquel Araguaia

A Horizonte Minerals está finalizando os preparativos para começar a construção do projeto de ferroníquel Araguaia, no Pará. A companhia informou que concluiu licitações de US$ 230 milhões para aquisição de equipamentos e definição de empreiteira que será encarregada do contrato EPCM para desenvolvimento da operação.


A companhia afirmou que está com um "plano de prontidão bem avançado", já com todas as principais licenças para o início da construção.

"Nos seis meses desde a conclusão do trabalho de engenharia de valor, um progresso significativo foi feito nos planos para implementar o projeto. As licitações foram concluídas para aproximadamente US$ 230 milhões de equipamentos e serviços essenciais", declarou o diretor-executivo da Horizonte, Jeremy Martin.

A empresa informou que o processo de preparação para desenvolvimento do projeto incluiu a definição das especificações de máquinas e de fornecedores de equipamentos-chave de processamento, incluindo trituradores, transportadores, elétricos, secadores, fornos, coleta de poeira e refinaria, além de forno elétrico e do forno rotativo que serão usados na operação.

"As negociações de contratos estão bem avançadas com todos os fornecedores-chave após a conclusão de um processo de avaliação detalhado e rigoroso de todas as propostas técnicas e comerciais recebidas e subsequente processo de otimização de propostas", afirmou a companhia.

Segundo a Horizonte, também está em andamento o processo para "firmar parceria" com a empreiteira que será responsável pelo contrato EPCM (sigla em inglês para engenharia, compra e gerenciamento da construção) "mais bem colocado para entregar o projeto".


Sem revelar o nome da empreiteira, a mineradora afirmou que discute contratos de construção, incluindo terraplenagem a granel, infraestrutura e serviços de construção temporária e obras civis da operação.

A mineradora afirmou ainda que espera concluir nas próximas semanas o acordo de financiamento do projeto, que tem custo total previsto de US$ 325 milhões. "Progredimos com a linha de crédito sênior após a conclusão de due diligence pelo sindicato de bancos, com a aprovação a caminho para o terceiro trimestre de 2021", disse Jeremy Martin.

O executivo salientou ainda a chegada ao Brasil de Michael Drake, nomeado em março chefe de projetos da empresa para coordenar o desenvolvimento de Araguaia e do projeto de níquel e cobalto Vermelhos, também no Pará.

"Mike Drake reabriu com sucesso o escritório em Belo Horizonte (MG) e está construindo rapidamente nossa equipe de execução de projetos. Juntamente com o excelente progresso que está sendo feito em nossas iniciativas de financiamento e a recente força do preço do níquel, é emocionante ver um aumento da atividade no Brasil conforme se intensifica nossa preparação para iniciar a construção nos próximos meses", declarou o executivo.


Fonte: Notícias de Mineração do Brasil

0 comentário