top of page

Gerdau investe R$ 700 milhões em Pindamonhangaba

Equipamento já está em operação e permitirá à siderúrgica ter um processo mais automatizado e com melhor rendimento.




A Gerdau investiu cerca de R$ 700 milhões na implantação do novo lingotamento contínuo de blocos e tarugos da Usina de Pindamonhangaba (SP). O equipamento já está em operação e permitirá à siderúrgica ter um processo mais automatizado e com melhor rendimento, o que resultará na entrega de produtos diferenciados e em um patamar ainda mais elevado de qualidade para os mercados demandantes.


O novo lingotamento contínuo irá gerar ganhos em três frentes: Segurança, pois trata-se de um equipamento mais automatizado e moderno, Qualidade, pois possibilitará a produção de aços “clean steel”, cuja tecnologia aplicada dá ao produto mais limpeza e maior resistência, aumentando sua vida útil, buscando atender à demanda da indústria automobilística por automóveis mais leves; e Competitividade, já que o novo equipamento possibilitará uma redução de custos e o aumento de produtividade da operação. “Temos realizado investimentos em nossas usinas de aços especiais para aumentar a produtividade e atender às necessidades e demanda crescente dos nossos clientes. O novo lingotamento de Pindamonhangaba está alinhado aos conceitos de indústria 4.0 e aumentará a qualidade e competividade das nossas operações nesse segmento”, disse Rubens Pereira, vice-presidente de Aços Especiais da Gerdau no Brasil.


O novo lingotamento contínuo da usina no interior paulista e o plano de modernização das operações da Gerdau até 2025 irão reforçar a presença da companhia em mercados estratégicos onde a companhia atua. A Gerdau também está planejando um ciclo de modernização e manutenção de suas operações de aços especiais no Brasil até 2025, que inclui investimentos em manutenção das operações e na atualização tecnológica, ambiental e modernização. Este plano depende ainda do aval do Conselho de Administração da empresa. Mas o plano é dividido entre as três usinas de aços especiais no Brasil: Mogi das Cruzes (SP), Pindamonhangaba (SP) e Charqueadas (RS), dos quais aproximadamente 60% desses investimentos serão para as plantas do Estado de São Paulo e 40% para a operação no Rio Grande do Sul. “Esse movimento no segmento de aços especiais é resultado da preparação da Gerdau para um novo ciclo de crescimento futuro com foco nas Américas, com o objetivo de gerar mais valor para seus clientes e ser uma organização ainda mais sustentável. Reforçamos ainda nosso otimismo com a evolução do segmento automobilístico e estamos acompanhando na Gerdau a evolução da demanda e da transformação tecnológica dessa indústria. Nos últimos anos, a empresa passou por uma profunda transformação cultural e digital, que a tornou ainda mais focada em pessoas, mais digital, inovadora, diversa e inclusiva”, comenta Gustavo Werneck, CEO da Gerdau.


Em 2021, a Gerdau anunciou plano de investimentos de R$ 1 bilhão em suas operações. Naquele ano, a planta de Mogi das Cruzes teve sua aciaria reativada, gerando 150 novos postos de trabalho diretos. A usina estava hibernada desde 2019 e opera com capacidade anual de cerca de 180 mil toneladas de aço, que é laminado na usina de Pindamonhangaba.


Já na usina gaúcha de Charqueadas recebeu a instalação de um novo forno de recozimento e esferoidização de barras de aço, o qual traz maior qualidade e produtividade ao processo produtivo, ganhos de competitividade e novos conceitos de segurança das pessoas. Esta atualização tecnológica também permitirá à Gerdau atender à demanda crescente por materiais com tratamentos térmicos complexos, principalmente do setor automotivo, uma vez que há um aumento de capacidade instalada para este processo.



Fonte: Brasil Mineral

0 comentário

Comments


bottom of page