Frente Parlamentar da Mineração tem reunião tensa com Bolsonaro

Deputados da Frente Parlamentar da Mineração apresentaram para o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) um dossiê com denúncias sobre um suposto esquema para liberação de processos na Agência Nacional de Mineração (ANM) durante uma reunião no Palácio do Planalto. Representantes do lobby da mineração também estavam presentes.


O deputado Ricardo Izar (PP-SP) relatou que há 200 mil processos parados na agência, que existem problemas com os leilões e apontou outras questões. Um representante dos mineradores afirmou que existe um preço para se tirar uma licença da ANM, de R$ 200 mil, mas não apresentou provas.

O secretário de geologia, mineração e transformação mineral do Ministério de Minas e Energia (MME), Alexandre Vidigal, estava presente no encontro e negou a acusação, disse que nunca tomou conhecimento de tal prática e pediu provas do ocorrido.

O deputado Izar, então, declarou que Vidigal sabia sim, pois tinha recebido dele um dossiê com as denúncias. Outro parlamentar, Evandro Roman (Patriota-PR), confirmou a entrega do documento para o secretário. "Entregou sim, secretário. Na tua mão. Eu estava junto". Vidigal negou conhecimento do fato.

Incomodado com a situação, Bolsonaro teria atendido a um pedido da Frente Parlamentar da Mineração para criar uma secretaria própria para a área.

O Notícias de Mineração Brasil (NMB) entrou em contato com a Agência Nacional de Mineração (ANM) e aguarda o posicionamento do órgão sobre as denúncias.


As informações são da revista Veja.

0 comentário