Fonte de renda e crescimento, a indústria da mineração é a história de Minas Gerais


Ela está presente nos computadores, nos smartphones, nos óculos, nas joias, nos avanços da medicina, nos carros, ônibus, bicicletas e aviões. Também pode ser encontrada no asfalto, no cimento, na construção civil, na água, nos remédios que tomamos, nos lápis e batons das maquiagens, nos fertilizantes da agricultura.

É quase impossível imaginar a vida hoje em dia sem a indústria da mineração. Ela fornece o minério de ferro, o aço, o cimento, a areia, o ouro, os derivados do petróleo, entre outros, que são usados na fabricação de milhares de produtos e equipamentos que estão presentes no nosso dia a dia. A utilização dos minerais em variados tipos de indústria é fundamental para o crescimento econômico e social de todo o planeta. Pode-se dizer que a atividade é essencial para a vida moderna, tanto pelo impacto econômico que ela causa quanto pelos avanços tecnológicos que trazem mais conforto e facilidade para o cotidiano das pessoas e que são produzidos a partir dos minérios. Fonte de renda


Se o minério é fundamental para a vida moderna, Minas Gerais é essencial para a produção desta matéria-prima que abastece as mais diversas indústrias, não só no Brasil, mas também no mundo.

No estado, a indústria da mineração tem presença forte e traz um retorno significativo para o desenvolvimento econômico e social. De acordo com números divulgados pela FIEMG – Federação das Indústrias de Minas Gerais , o estado responde por 40% da produção mineral do país, com destaque para a extração de minério de ferro.

Além disso, a região abriga a maior reserva de nióbio do mundo. Segundo a instituição, são mais de 1.800 empresas que atuam no setor no estado, gerando mais de 64 mil postos de trabalho. De tudo que é produzido pela indústria extrativa mineira, 69% têm como destino a China. Em 2020, o saldo da balança comercial alcançado pelo segmento ultrapassou os US$ 9,3 milhões.

Tradição e inovação


Em Minas Gerais, a história da mineração se confunde com a própria trajetória de desenvolvimento do estado, estando presente inclusive no seu nome. Muito antes de alcançar a produção em larga escala, os minerais já despertavam interesses em solo mineiro.

Para ser mais exato, de acordo com os livros de história do Brasil, a mineração começou a chamar atenção na região por volta do ano de 1.600, quando Minas Gerais começou a receber expedições em busca de metais preciosos e a Coroa Portuguesa tratou logo de criar mecanismos que resguardassem a ela grande parte do que era conseguido no riquíssimo solo mineiro.

De lá para cá, a atividade mineira se transformou em uma indústria forte e consolidada, responsável por impulsionar grande parte da economia do estado, gerando empregos e crescimento. Hoje, além da relevância no aspecto econômico, a indústria extrativa mineira também aposta no desenvolvimento sustentável, investindo em novas tecnologias e pesquisas para garantir o bem-estar das pessoas e a proteção dos ambientes naturais onde atua.

A mineração faz parte da formação econômica e cultural do estado. Foi a partir dela que Minas Gerais ganhou importância e se tornou uma das mais importantes unidades federativas do país. Foi por meio da indústria da mineração que o estado pode diversificar sua produção e ver nascer outros setores que compõem uma cadeia produtiva que se desenvolve e inova a cada dia.



Fonte:https://g1.globo.com/mg

0 comentário