top of page

Ero Copper prevê investir até US$ 349 milhões em 2024 e iniciar projeto Furnas

A perspectiva é que a produção consolidada de cobre mais do que dobre, alcançando entre 95 mil e 105 mil toneladas em 2025.




A Ero Copper anuncia que registrou recorde na produção de ouro na operação de Nova Xavantina, de sua controlada NX Gold, obtendo 59.222 onças em 2023, ultrapassando a orientação de produção para o ano, que era de 55 a 59 mil onças. Já a produção de cobre ficou um pouco abaixo do que era previsto, alcançando 43.857 toneladas, contra uma previsão de 44 mil a 47 mil toneladas. Segundo a empresa, “embora a capacidade projetada para expansão da usina da Caraíba tenha sido alcançada até o final do ano, os volumes de processamento e a produção de cobre no quarto trimestre e no ano inteiro foram impactados por aproximadamente uma semana de paralisação não planejada adicional relacionada à integração do circuito de expansão”.


Para 2024, a previsão da empresa é que a produção consolidada de cobre alcance 59 mi a 72 mil toneladas, com custo caixa C1 entre US$ 1,50 e US$ 1,75 por libra de cobre produzido. Já a produção de ouro deve ficar entre 55 mil e 60 mil onças de metal, a custos totais (AISC) entre US$ 1.050 e US$ 1.150.


Quanto às despesas de capital, a orientação para 2024 é que o total fique entre US$ 299 milhões e US$ 349 milhões, “principalmente devido à conclusão do Projeto Tucumã, que continua no caminho certo para iniciar a produção durante o segundo semestre do ano. Como resultado, espera-se que as despesas de capital sejam ponderadas no primeiro semestre de 2024”, informa a Ero Copper. A projeção de despesas de capital inclui cerca de US$ 30 a US$ 40 milhões em despesas de exploração consolidadas. Esta estimativa abrange aproximadamente US$ 20 milhões destinados a atividades de perfuração nas Operações Caraíba, incluindo gastos relacionados ao programa de exploração de níquel do Vale do Curaçá. Além disso, a empresa orçou aproximadamente US$ 6 milhões para a primeira fase das obras do Projeto Furnas.


A perspectiva é que a produção consolidada de cobre mais do que dobre, alcançando entre 95 mil e 105 mil toneladas em 2025, já que a mina Tucumã deverá atingir seu primeiro ano completo de produção. Quanto ao ouro, após a conclusão bem-sucedida da iniciativa NX 60 em 2023, espera-se que as Operações Xavantina sustentem níveis anuais de produção de ouro de 55.000 a 60.000 onças até 2026.


Nas Operações da Caraíba, a produção de cobre está projetada para variar de 42 mil a 47 mil toneladas até 2026, com maiores volumes de produção esperados para compensar os menores teores de cobre extraídos e processados previstos. Após a conclusão prevista do novo poço externo da Mina Pilar no final de 2026, a empresa espera que os teores de cobre extraído e processado aumentem à medida que a mineração na Zona de Extensão de Aprofundamento de alto teor aumenta.


A produção de cobre das Operações de Tucumã deverá aumentar de 17 mil para 25 mil toneladas, no segundo semestre de 2024, para 53 mil a 58 mil toneladas em 2025, quando a mina atingir seu primeiro ano completo de produção. Espera-se que a usina de Tucumã mantenha níveis de produção nominal de aproximadamente 4,0 milhões de toneladas por ano a partir de 2025, com fortes teores de cobre extraído e processado projetados até 2026.


Para David Strang, CEO da Ero Copper, “o desempenho de produção em 2023 reflete a forte execução de nossa estratégia de crescimento orgânico, destacada pela conclusão bem-sucedida da iniciativa NX 60, que resultou em um crescimento de 39% aumento anual na produção de ouro. Embora a conclusão do projeto de expansão do moinho em nossas operações em Caraíba tenha exigido tempo de inatividade adicional da planta, culminando em uma produção anual de cobre que ficou um pouco abaixo de nossas expectativas, esse marco é fundamental para apoiar maiores volumes sustentados de produção de minério da Mina Pilar no longo prazo. Levamos esse impulso estratégico para 2024, à medida que fazemos a transição da construção para o comissionamento no Projeto Tucumã, onde prevemos a produção inicial de concentrado de cobre no segundo semestre deste ano. Com a produção consolidada de cobre em vias de aumentar pelo menos 35% este ano e mais do que duplicar em 2025, estamos avançando ativamente nas nossas iniciativas de crescimento a longo prazo. Isso inclui a construção do novo poço externo nas Operações Caraíba, a continuidade da exploração de níquel em todo o Vale do Curaçá e a preparação para a primeira fase de obras do Projeto Furnas”.


Fonte: Brasil Mineral

0 comentário

Comentários


bottom of page