top of page

Encontro em Belém debate práticas sustentáveis na cadeia produtiva do ouro

Promovido pela ABPM, Simpósio do Ouro reúne empresas de mineração, representantes do governo federal e estadual, e especialistas.



Começou nesta segunda-feira, 16, e vai até a próxima quarta-feira (18), o Simpósio do Ouro, promovido pela Associação Brasileira das Empresas de Pesquisa Mineral e Mineração (ABPM) em Belém, no Pará. O objetivo é apresentar soluções efetivas para organizar a cadeia produtiva do metal no país ao incentivar o debate sobre aspectos regulatórios, tecnológicos, ambientais e iniciativas de governança e social, além da troca de experiências e oportunidade de negócios.

O evento, na Estação das Docas, reúne empresas de mineração do Brasil e do exterior que atuam no país, representantes do governo federal e estadual, especialistas e profissionais que atuam na cadeia produtiva do metal.

O primeiro painel será sobre o panorama dos investimentos em ouro, com a presença de Vitor Saback, secretário de Geologia e Mineração do Ministério de Minas e Energia; e Anderson Baranov, presidente do Simineral. O debate será moderado pelo presidente da ABPM, Luís Maurício Azevedo.

“Acho que o simpósio está sendo realizado numa hora muito interessante, onde está se discutindo novas políticas, a situação da ANM, e o setor tem que se posicionar. É um momento em que o Brasil está indo muito bem em termos econômicos. Temos que aproveitar essa oportunidade para discutir posições que possam vir ajudar o Brasil a atrair mais investimentos. A chegada de empresas de ouro, lítio, de terras raras vai trazer novos investidores, principalmente ao Pará, pelo potencial do estado em termos de mineração,” avalia Azevedo.

Os principais temas em debate serão: Segurança Jurídica e Competitividade na Cadeia Produtiva do Ouro; Listagem de Empresas no Mercado de Venture Capital no Brasil; Relacionamento com stakeholders locais: como desenvolver vínculos com as comunidades?; Certificação e Rastreabilidade da Produção de Ouro; Novas Tecnologias aplicadas à Pesquisa Mineral para o Ouro; Projetos Avançados de Exploração Mineral; Desenvolvimento Inclusivo e Sustentável para Mineração na Amazônia e o Papel dos Estados no Desenvolvimento da Mineração.

Confira a programação completa (clique aqui).

Desafios

O grande desafio do país é garantir padrões de sustentabilidade em toda a cadeia do ouro, que vai desde a produção, refino e comercialização. Atualmente, a cadeia do ouro sofre com a desconfiança internacional, causada pelas atividades ilícitas de garimpo, sobretudo na Amazônia.

Diante desse cenário, segundo Azevedo, é preciso debater práticas de negócios responsáveis ao longo de toda a cadeia de fornecimento de ouro e o evento será uma oportunidade para esse debate.

O local escolhido para sediar o evento foi, mais uma vez, o estado do Pará, um dos maiores produtores do ouro no país, ao lado de Minas Gerais, Mato Grosso, Bahia e Goiás.

O Simpósio do Ouro e a Feira da Mineração da Amazônia, contam com o apoio de diversas instituições de governo, de entidades do setor e empresas de mineração, entre eles, Agência Nacional de Mineração, Ministério de Minas e Energia, Agência para o Desenvolvimento e Inovação do Setor Mineral Brasileiro (Adimb), Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia do Estado do Pará.

Mais informações sobre o evento: (clique aqui).


Fonte: Revista Mineração & Sustentabilidade

0 comentário

Comments


bottom of page