Empresa lança estágio para promover a inclusão do público feminino na Mineração



A Samarco lançou na última sexta (19/08), o Programa de Estágio Mulheres na Mineração para promover a inclusão do público feminino no setor. A iniciativa, realizada pela primeira vez na empresa, oferece 65 vagas para estudantes dos cursos de níveis técnico e superior, que estejam matriculadas no período noturno e cursando a partir do 3° período, no caso de nível superior.


As vagas disponíveis são para as unidades de Belo Horizonte, Mariana, Rio Doce e Santa Cruz do Escalvado, em Minas Gerais, e Anchieta, no Espírito Santo. A inscrição deve ser realizada pelo site Vagas.com até o dia 18 de setembro. Clique aqui para se candidatar.


A ação é realizada no âmbito do Programa de Diversidade, Equidade e Inclusão (DE&I), criado neste ano pela empresa, e vai ao encontro do propósito de fazer uma mineração diferente, além de estar alinhada à agenda ESG (sigla em inglês para ambiental, social e governança). O programa de estágio exclusivo para mulheres também está alinhado à Carta de Compromisso do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), assinada pela Samarco, em 2019.


“O nosso objetivo é ampliar a representatividade e o efetivo de mulheres, cisgênero e transgênero. É mais uma ação que busca transformar a empresa em um ambiente cada vez mais saudável e inclusivo para todos (as). Queremos contribuir para corrigir desigualdades históricas da sociedade”, ressaltou a gerente-geral de Desenvolvimento Humano e Organizacional, Vera Lucia.


O processo seletivo será composto por prova online, entrevistas e exames admissionais. As selecionadas poderão atuar no escritório em Belo Horizonte, nos complexos de Germano, Mariana (MG), de Ubu em Anchieta (ES) ou Candonga (Santa Cruz do Escalvado e Rio Doce). O programa oferecerá bolsa de estágio, auxílio transporte e alimentação.


Em 2021, a Samarco patrocinou o movimento Women in Mining Brasil (WIM Brasil), que tratou de ações para fomentar a participação de mulheres em posições de liderança, assegurar a atração e retenção de novos talentos. Dados do WIM de 2019 indicaram que as mulheres representavam somente 13% dos profissionais que atuavam no setor. A previsão do Fórum Econômico Mundial é que a disparidade de gênero ainda demore 268 anos para ser totalmente erradicada.


No ano passado, a Samarco realizou levantamento para avaliar a representatividade feminina. Verificou-se que esse público representava 16% do seu efetivo. “Nossas ações estão sendo planejadas para promover a igualdade de oportunidades e para dar nossa contribuição para que a disparidade de gênero seja uma realidade cada vez mais distante”, frisou Vera.



Fonte: Portal27.com.br

0 comentário