top of page

CSN Mineração fecha acordo de US$ 500 milhões com Glencore

A operação envolve um recebimento de pré-pagamento de até US$ 500 milhões pelo fornecimento de minério, iniciando em 2024.


A CSN Mineração concluiu acordo de fornecimento de 13 milhões de toneladas de minério de ferro em quatro anos com a Glencore International AG. A operação envolve um recebimento de pré-pagamento de até US$ 500 milhões pelo fornecimento de minério, iniciando em 2024. “O desembolso ocorrerá quando forem cumpridas certas condições precedentes, habituais para este tipo de transação”, acrescentou a empresa, em comunicado.


Este é o quarto contrato de acordo de pré-pagamento com a Glencore, destaca o Bradesco BBI. O primeiro foi de US$ 500 milhões e 22 milhões de toneladas de minério de ferro em cinco anos, em fevereiro de 2019, enquanto o segundo, de US$ 250 milhões e 10 milhões de toneladas, tinha prazo de cinco anos e foi firmado em julho de 2019. O terceiro teve valor de US$ 115 milhões e 4 milhões de toneladas em até cinco anos), e foi assinado em meados de 2020. Os primeiros acordos de pré-pagamento de minério de ferro entre a CSN Mineração e a Glencore foram feitos quando a empresa brasileira necessitava de reforço de liquidez, já que ainda lutava com altos níveis de dívida líquida/Ebitda (Ebitda = lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações). “Embora este não seja mais o caso, parece que a estrutura do negócio foi considerada bem-sucedida, com ambas as partes dispostas a ‘renovar’ o negócio”, avalia o BBI.


O banco ponderou que a CSN Mineração tem a obrigação de entregar a tonelagem contratada, embora melhore a posição de liquidez da empresa; o caixa será registrado como receita diferida; a Glencore está adiantando cerca de US$ 38 a tonelada agora e pagará a diferença pelos preços spot à medida que os volumes forem entregues e o Ebitda da CSN Mineração permanecerá o mesmo, mas sua conversão de caixa será menor devido aos ajustes de capital de giro relacionados ao negócio durante o período do contrato.


Fonte: Brasil Mineral, assine e tenha acesso a um vasto conteúdo de notícias do setor mineral

0 comentário

Commentaires


bottom of page