Comissão ouve especialistas e comunidade sobre mineração no Norte de Minas


Comunidade de Bento Rodrigues, em Mariana (MG), após rompimento de barragem da Vale em 2016


A Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados promove audiência pública nesta terça-feira (21) para debater os impactos da construção do complexo minerário denominado “Bloco 8”, da Sul Americana de Metais (SAM), que pretende explorar minério de ferro na região Norte de Minas.

O complexo de mineração denominado “Bloco 8” conta com um mineroduto, duas barragens de rejeitos e dois reservatórios de água que serão construídos na região do Vale das Cancelas, no Norte do Estado de Minas Gerais, abrangendo quatro municípios: Grão Mogol, Padre Carvalho, Fruta de Leite e Josenópolis.

Segundo o deputado Rogério Correia (PT-MG), que solicitou o debate, "a SAM vem buscando manobras para fragmentar o empreendimento e facilitar o licenciamento do complexo, que já teve negativas anteriores em decorrência da magnitude dos impactos socioambientais".

Ele afirma que os Estudos e Relatórios de Impactos Ambientais (EIA/Rima) apontam que o empreendimento previsto amplia o modelo de mineração responsável pelas tragédias ocorridos em Mariana e Brumadinho. "A barragem principal do empreendimento terá a capacidade de 845 milhões de m3 de rejeitos, representando uma dimensão 100 vezes maior do que a barragem da Vale S/A que rompeu em Brumadinho", alerta.

Para debater o assunto, foram convidados representantes da empresa SAM, do Ibama, da Secretaria de Meio Ambiente de Minas Gerais, do Ministério Público Federal e de comunidades afetadas pelo empreendimento.



Fonte: Agência Câmara de Notícias

0 comentário